L’ETÉRNITÉ | Mariana Ana

L’ETÉRNITÉ

1

ela regressou
o quê? a poesia – regressou…
É um sol um mar
um jaguar olhos de lince

(… flor do mal que
minha voz tocou…)
………………………………………..

2

Esperei-te, serpente de fogo
na floresta de estalactites
no obscuro som da língua
ínvia Condor esfinge

Ela regressou (l’etérnité…)
contigo, matéria ígnea
de quanto disse
na escrita – arpão de som –

e no lago de palavras
o nome negro dele imagens trouxe
ó pele luminiscente
do corpo entregue ao fogo…

um barco no rio lançado
ao desejo desesperado
de mudar a vida
(mudar o jogo… a vida

intrépida) Ela chegou
O quê? a lâmina
seu gelo exacto cortando
a língua desse leopardo…

Ainda a fúria (como Rimbaud
filho do sol) é onde estou
Pele da linguagem
falas directo ao coração

do mar vulcânico … Do lince a luz ….
e ter no rosto a pedra… a mão
do lume o lince (o que aqui disse
foi em Aden) a pedra negra

em combustão…

Elle est retrouvée
quoi? L’etérnité …

Mariana Ana

Retirado do Facebook | Mural de António Carlos Cortez

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.