“Há coisas que só podem ser alcançadas na mesa de negociações”: Zelensky defende diplomacia como única forma de pôr fim à guerra | in Jornal Expresso

Presidente ucraniano baixou as expectativas do povo ucraniano e defendeu a via diplomática como única solução capaz de terminar “definitivamente” o conflito. Mas exigiu pré-compromisso de que Rússia não matará militares de Azovstal para retomar negociações.

Apesar das vitórias destas semanas no terreno, apesar das aparentes fraquezas das forças militares russas, o Presidente da Ucrânia defendeu este sábado que a guerra “só terminará definitivamente pela diplomacia” e admitiu há requisitos necessários à paz que só poderão ser alcançados por esta via.

“Discussões entre a Ucrânia e a Rússia, sem dúvida, ocorrerão”, afirmou Volodymyr Zelenskiy numa entrevista a um canal de televisão ucraniano. “Sob que formato eu não sei – com intermediários, sem eles, num grupo mais alargado, a nível presidencial. Mas a guerra será sangrenta, haverá luta e só terminará definitivamente pela diplomacia.”

“Há coisas que só podem ser alcançadas na mesa de negociações. Queremos que tudo volte [como era antes], mas a Rússia não quer isso”, acrescentou.

A última ronda de negociações de paz entre a Ucrânia e a Rússia ocorreu há um mês, a 22 de abril na Turquia. Ambos os lados têm trocado acusações, culpando-se mutuamente pelo empasse nas negociações.

Agora, Zelensky avisou que a Ucrânia só retomará as conversações com a pré-garantia de que a Rússia não matará os militares retirados de Azovstal, em Mariupol. “O mais importante para mim é salvar o máximo de pessoas e soldados”, sublinhou.

Segundo a Rússia, 2.439 combatentes ucranianos renderam-se esta semana no complexo industrial. A Ucrânia espera trocar estes militares por soldados russos capturados.

No entanto, durante a última semana têm havido movimentações na Duma (parlamento russo) para que o Batalhão de Azov seja tratado como um grupo terrorista e por isso julgado na Rússia, sem ser incluído nas trocas de prisioneiros. Essa decisão poderá também levantar questões sobre a obrigação da Rússia de tratar estes combatentes como prisioneiros de guerra, seguindo as obrigações conferidas por esse estatuto ao abrigo da lei internacional.

Durante a entrevista, o Presidente ucraniano falou também na possibilidade da criação de um documento com garantias de segurança para o país, paralelo a eventuais negociações bilaterais. Este seria assinado por “amigos e parceiros da Ucrânia, sem Moscovo”.

https://expresso.pt/guerra-na-ucrania/2022-05-21-Ha-coisas-que-so-podem-ser-alcancadas-na-mesa-de-negociacoes-Zelensky-defende-diplomacia-como-unica-forma-de-por-fim-a-guerra-7c9d8f7d?fbclid=IwAR2o7m4MrJeKalvnecxQts8d1y00NZR_hr7BJWR9vu5GOO1YYEDYACnCVAk

One thought on ““Há coisas que só podem ser alcançadas na mesa de negociações”: Zelensky defende diplomacia como única forma de pôr fim à guerra | in Jornal Expresso

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.