HUB Alverca longo-curso / Portela médio-curso

Esta é uma proposta autónoma-independente promovendo o desenvolvimento de Lisboa como HUB intercontinental de tráfego aéreo, e capaz de rapidamente resolver o presente obstáculo aeroportuário ao crescimento turístico de Portugal, sem comprometer a segurança / competitividade / sustentabilidade no horizonte da concessão aeroportuária (ano 2062).

Tem como principais objectivos:

  1. Promover um debate construtivo com uma participação pública esclarecida numa decisão que é complexa, de importância estratégica para o país e com consequências a longo-prazo;
  2. Alertar para as consequências (económicos, sociais e ambientais) de algumas das propostas em análise pelo Estado e concessionária;
  3. Apresentar uma solução inovadora que achamos que deve ser estudada de forma exaustiva pelo LNEC (ao ser um organismo independente com capacidade técnica e conhecimento das restantes propostas apresentadas);
  4. Propor uma resposta ágil a um problema já existente que afecta tanto habitantes como passageiros do aeroporto de Lisboa.

A inovação-base da proposta é a criação de uma nova pista em Alverca, o que representa uma situação nunca antes analisada, paralela à pista principal da Portela, formando assim um par de pistas paralelas independentes.

Os artigos presentes neste site pretendem abordar o contexto das decisões tomadas no passado, a atual alteração do panorama económico-financeiro e o seu impacto na atual decisão aeroportuária, a proposta da concessionária Ana-Vinci e, finalmente, a apresentação de uma proposta inovadora e os seus impactos.

LER TODO O ARTIGO NESTE SITE : https://hubalvercaportela.com/

  1. Redução do esforço económico necessário: O HUB Alverca / Portela poupará 5.500-6.500 milhões de euros de investimento no comparativo com equivalente solução que abrange a solução provisória do Montijo com  posterior aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete, um 3º atravessamento do Tejo e um extenso rol de alterações sem criação de valor;
  2. Eficiência económica: O custo por metro linear de pista associada à solução em Alverca é 5 vezes inferior à solução da concessionária, para um volume de tráfego que será 3 vezes superior (Alverca suporta até 45 milhões de passageiros, ao passo que Montijo apenas 15 milhões);
  3. Eficiência ambiental: O nível de emissões de CO2 devido ao transporte de passageiros e trabalhadores será 5 vezes inferior à solução da concessionária. Adicionalmente, no abastecimento de jet fuel será eliminado o transporte através de camiões-cisterna, acabando-se assim com as emissões de CO2 dos milhões de quilómetros do constante vaivém entre armazenagem de Aveiras e Portela. Minimização também do impacto sobre as comunidades de avifauna da Zona de Proteção Especial do Estuário do Tejo relativamente à solução baseada no Montijo, reduzindo os riscos de colisão entre as aves e as aeronaves. Beneficiação das condições de circulação do estuário do Tejo na envolvente da zona intervencionada.
  4. Eficiência competitiva: Lisboa será tão ou mais competitiva na atração do turismo que os concorrentes directos Madrid e Barcelona (que já fizeram as ampliações aeroportuárias) e conseguirá manter a competitividade com Dublin (que está a ampliar capacidade aeroportuária e o raio de ação da aviação disponível) pela atracção do mercado EUA e Canadá.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.