Os anti-intelectuais: Teólogos, pensadores e comentadores | Carlos Matos Gomes

Eles não pensam. Ou pensam como os teólogos, que apresentam provas da existência do deus que estiver na moda e as regras para os pobres de espírito alcançarem o paraíso na vida eterna que sejam mais convenientes aos seus soberanos.

Num artigo de Maio de 2015, António Guerreiro escrevia no Público sobre os comentadores da comunicação social e os seus percursos de vida: “Reconhecemo-los à distância, mal aparecem no pequeno ecrã a comentar, nos jornais como escritores subalternos e nos postos oficiais onde o culto do arrivismo passa por razão de Estado.” Referia-se aos eternos ex-, os renegados da extrema-esquerda que renunciaram à utopia, os arrependidos de ideias, agora tão realistas por princípio que o seu realismo é uma nova ideologia, tão autoritária como a anterior. Mas esta pequena matilha não se resume aos ex da extrema-esquerda, inclui ex de todas as formações e a mais numerosa talvez seja a dos ex-sociais-democratas, feitos em cozedura rápida à volta de Sá Carneiro, que comprou a marca social-democrata numa loja de conveniência em 1974 e até alguns do Partido Socialista. Escrevia ainda António Guerreiro: “Não é a apostasia que deve ser criticada. Espantoso e criticável é que se tenham conformado aos mesmos estereótipos e repitam a disposição mental de notários que o escritor Marcel Jouhandeau (…) previu que seria a evolução dos manifestantes de Maio de 68: “Voltem para casa! Daqui a dez anos serão todos notários”.

Na realidade, estes hoje em dia designados seniores ou até, pasme-se, vultos da Nação, que passam pelos ecrãs e pelas colunas dos jornais, da figura caricata do agora quase gentleman londrino José Carlos Espada ao ladino Marques Mendes sempre foram notários, mangas de alpaca. Nunca foram intelectuais, nunca pensaram em mais nada do que em utilizarem a etiqueta de intelectual para obterem vantagens nos negócios e obterem algum reconhecimento social. Eles não pensam. Ou pensam como os teólogos, que apresentam provas da existência do deus que estiver na moda e as regras para os pobres de espírito alcançarem o paraíso na vida eterna que sejam mais convenientes aos seus soberanos.

Na maioria dos casos, o comentário dos comentadores é um embuste sobre a forma de pensamento. Eles utilizam esse embuste como ferramenta para viverem comodamente sem esforço. “Eles podem ser arrependidos quanto às ideias, mas não quanto às pretensões e à vontade de poder e de auto-celebração. (…) Podem ter renegado tudo, podem estar treinados para triunfar no novo ambiente, mas há uma coisa de que não se libertam: as suas estruturas mentais e os seus métodos. (…) Perante uma determinada situação, respondem sempre da mesma maneira, com um conjunto de traços estereotipados, numa repetição monótona dos mesmos argumentos e dispositivos retóricos. “

Estes comentadores convertidos por interesse à nova ordem vendem-se como lebres, nunca tendo deixado de ser gatos. Vendem-se como intelectuais orgânicos, quando são apenas funcionários da propaganda. São apenas pregadores. Nunca tiveram coragem de pensar, apenas leram pela rama os livros da moda e repetiram os sumários consoante a oportunidade e a conveniência das épocas litúrgicas.

O intelectual da imagem ou da escrita é apenas um cortesão daqueles que julgo ter sido Shakespeare a dizer, em Hamlet: Afiam espadas quando o príncipe é dado à guerra e fazem versos quando o príncipe é dado à poesia.

Voltando a António Guerreiro: “Ética é geralmente o nome que estes novos pastores dão à sua ideologia. E é instalados nessa “ética” da conveniência e do interesse que nos ministram as suas lições ao rebanho.” São lições de ética do aguentem porque essa é a vontade do senhor, que nos despejam Marques Mendes e Helena Matos, Espada e Rogeiro, Camilo Lourenço e Vilaverde Cabral! E os seus senhores, os senhores da comunicação social, conseguem o milagre bem pago de lhes multiplicar as vulgaridades e as curtas frases feitas.

Carlos Matos Gomes

Retirado do Facebook | Mural de Carlos Matos Gomes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s