UM DISCURSO COM ALMA SOBRE O ESTADO DA UNIÃO | de Ursula von der Leyen | Paulo Sande

“Se sembra impossibile allora si può fare”

Como todos os anos, ritual inaugurado pelo muito nosso (salvo seja) Durão Barroso, quando Presidente da mesma Comissão, Ursula von der Leyen, actual incumbente no cargo, pronunciou ontem, 15 de setembro, o seu discurso da União – em 2021, num ano ainda duro, dolorosamente presente, de futuro indecifrável, onde mora o medo mas também a coragem, o desânimo mas também a esperança.

Aqui ficam dez apontamentos sobre este discurso – um grito pela Alma da Europa.

1. A Europa, em tempo de pandemia, assegurou o acesso praticamente simultâneo de todos os países europeus à vacina. E foi a única região a partilhar metade das vacinas com o resto do Mundo (700 milhões de doses para os europeus, 700 milhões espalhadas pelo globo). E mais de 70% dos adultos europeus estão vacinados. E o projeto europeu HERA, num investimento de 50 mil milhões €, visa garantir que nenhum vírus transformará no futuro uma epidemia local numa pandemia global.

Continuar a ler

URSULA VON DER LEYEN EM PORTUGAL | por Nuno Vidal

Ursula von der Leyen, a Presidente da União Europeia, está em Portugal hoje e amanhã. Impressionou com o seu recente discurso do Estado da União. Embora proclamatório – tudo na Europa tem de ser aprovado por 27 países – destacou-se a defesa da dignidade do trabalho, designadamente pela criação de um salário mínimo europeu; o lançamento do NextGenerationEU, a prioridade ao Pacto Ecológico Europeu e a criação da Década Digital da Europa.

A determinação europeia que revelou faz-nos recordar que Van Der Leyen viveu sob proteção policial na sua juventude, tendo de ir viver para Inglaterra – onde se licenciou em Economia – devido a ameaça da RAF (grupo terrorista de extrema-esquerda) contra a sua família, tendo, depois do seu regresso à Alemanha, feito um doutoramento em Medicina em Hamburgo.

Em todos os lugares por onde tem passado (foi Ministra de três pastas na Alemanha) tem promovido a paridade, como fez agora na Comissão. Apoiou a aplicabilidade das mesmas regras fiscais a casais heterossexuais e homossexuais, bem como direitos iguais de adopção para casamentos do mesmo sexo e votou favoravelmente no Parlamento a aprovação da lei que prevê a igualdade entre casamentos homossexuais e heterossexuais, tendo combatido a pornografia infantil.

Uma democrata-cristã tolerante, aberta ao mundo e do seu tempo (em profundo contraste com os políticos bota-de-elástico que dominam a cena portuguesa).

Nuno Vidal

Retirado do Facebook | Mural de Carlos Fino