Amálgama, de Rubem Fonseca

AmalgamaA Sextante Editora publica o novo livro de contos de Rubem Fonseca, Amálgama. Aqui, reencontramos o estilo único do maior contista brasileiro em histórias onde residem a crueza, o erotismo, a violência, a velocidade narrativa, o clima noir. Ao longo de 32 contos e dois surpreendentes poemas, somos confrontados com personagens e situações unidas pela tristeza, pela dor, pela raiva, pelo fracasso, pela ternura e pelo amor, uma verdadeira amálgama de vidas que se constroem e se destroem num instante.
Rubem Fonseca é um dos maiores escritores lusófonos da atualidade e, nos últimos anos, considerado por muitos como o principal candidato ao primeiro Prémio Nobel da Literatura brasileiro. A Sextante Editora tem já publicados seis livros deste consagrado autor.
O LIVRO
Um assassino de anões que reflete sobre o amor; um homem que mata gatos e cães mas tem pudor em proferir palavras torpes; um rapaz que odeia gente má e usa a sua bicicleta como instrumento da justiça; vários escritores frustrados. No mais recente livro de Rubem Fonseca, os contos e alguns poemas – pungentes, intrigantes, secos como um soco – perambulam pela cidade.

 

O AUTOR
Carioca desde os oito anos, Rubem Fonseca nasceu em Juiz de Fora, a 11 de maio de 1925. Contista, romancista, ensaísta, guionista e «cineasta frustrado», é um dos mais originais prosadores brasileiros contemporâneos.
Em 1963, a primeira coletânea de contos, Os prisioneiros, foi reconhecida pela crítica como a obra mais criativa da literatura brasileira em muitos anos; quatro anos depois, Lúcia McCartney, tornou-se um bestseller e ganhou o maior prémio para narrativas curtas do Brasil. Já era considerado o maior contista brasileiro quando, em 1973, publicou o seu primeiro romance, O caso Morel. Em 2003, ganhou o Prémio Juan Rulfo e o Prémio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Recebeu cinco vezes o Prémio Jabuti e, em 2012, foi-lhe atribuído o Prémio Correntes d’Escritas/Casino da Póvoa para o romance Bufo & Spallanzani.
Com várias das suas histórias adaptadas ao cinema, ao teatro e à televisão, Rubem Fonseca já publicou quinze coletâneas de contos, onze romances e O romance morreu, que reúne crónicas publicadas no Portal Literal.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s