DECLARAÇÃO DE INTENÇÕES | José Gabriel Pereira Bastos

É chegada a altura de ir para além das tradicionais formas de acção e organização (estilhaçadas temática, religiosa e ideologicamente) e de nos unirmos EM REDE, á escala nacional, internacional e mundial, como PARTIDÁRIOS DE UM MUNDO MELHOR, em Amor, Respeito, Paz e Solidariedade.

Somos muitos mais do que pensamos, somos quase todos. Só falta que nos organizemos à escala mundial e corramos democraticamente com os Grandes Opressores Criminosos a quem temos vindo a delegar a competência de nos representarem à escala nacional e europeia.

Os nossos inimigos são os Aparelhos de Estado, sobretudo os Aparelhos Bancários e Militares, associados a organizações secretas, mafiosas e criminais que se ocultam noutros aparelhos, como os Judiciais e policiais.

A estratégia do PODER MAFIOSO é “dividir-nos, para reinar sobre nós”. A nossa estratégia contra o Poder Mafioso (parcialmente secreto, parcialmente controlando a organização e os programas dos Aparelhos Escolares e Universitários e controlando os Media, para nos alienarem), deve UNIR-NOS À ESCALA MUNDIAL para lhes retirarmos o Poder Maligno, de forma pacífica e democrática. A MAIORIA SOMOS NÓS, GENTE BOA DE TODO O MUNDO.

A DIVERSIDADE É UMA FORÇA VITAL A RESPEITAR.

Vamos confederar a Diversidade da Gente Boa que quer um Mundo Melhor. Eu estarei na primeira linha. Convosco.

Chega de ‘manifestações’ e de discursos. Vamos finalmente organizar-nos, construir o CADERNO REIVINDICATIVO, e impô-lo, através de Referendos?

Queremos

(1) a GLOBALIZAÇÃO DA PAZ, DA TOLERÂNCIA E DO RESPEITO por pessoas e povos, o que garante a LIBERDADE DE CADA UM E DE TODOS

(2) a DEFESA ECOLÓGICA DA NOSSA TERRA,

(3) a partilha de recursos e bens para que nem um humano passe fome ou viva em condições inumanas,

(4) o DESARMAMENTO MUNDIAL NEGOCIADO, o fim das indústrias militares, o recuo dos exércitos imperialistas para as suas fronteiras de origem, e a redução dos aparelhos militares a funções meramente defensivas e à função de controlo das Máfias (da droga, de escravos, de armamento, do jogo, etc.),

(5) a colocação da ONU ao serviço da negociação da transformação de Estados Unitários opressores das suas minorias nacionais ou étnicas em confederações étnicas (como, por exemplo, a Nigéria, ou Burma, com dezenas de minorias oprimidas; ou a Espanha, com meia dúzia de nações etnicamente esmagadas, etc.),

(6) a transferência da Economia da Guerra para a ECONOMIA DA PAZ E DO DESENVOLVIMENTO COOPERANTE;

(7) a colocação da investigação ao serviço da detecção do modo de produção histórico das opressões de género, intergeracionais, de classe e inter-étnicos e dos modos disponíveis para as superar,

(8) a colocação da biologia e da medicina ao serviço da revisão dos costumes alimentares, do uso do tempo e das práticas relacionais visando a promoção da saúde e a diminuição da epidemia do mal-estar pessoal, relacional, civilizacional e histórico,

(9) a negociação entre aparelhos religiosos (sunitas com Xiitas; evangélicos, Testemunhas de Jeová, católicos, ortodoxos, budistas, hindus, sikhs, etc.) para a criação de um código comum de respeito e cooperação pacífica na relação inter-religiosa;

(10) a revisão dos currícula escolares e universitários para colocar em primeiro plano estes OBJECTIVOS DA HUMANIDADE, os problemas por resolver e a apresentação do modo de produção histórica dos problemas que bloqueiam UM FUTURO MELHOR.

(11) a colocação dos interesses da Humanidade acima dos Interesses nacionais e dos interesses económicos particulares,

(12) a atribuição da PRIORIDADE ABSOLUTA destes objectivos nos Programas de Governo e debates inter-partidários.

A enorme maioria das pessoas, das associações, das Igrejas e das organizações está de acordo e actua em pequenos espaços e escalas locais, falta que converjam para a Globalização destes Valores e Objectivos. Para isso, é preciso começar por referendá-los – e é para esse enorme REFERENDO MUNDIAL que proponho que nos mobilizemos, utilizando o potencial das redes sociais.


Fui escrevendo (com interrupções), suponho que os OBJECTIVOS e o COMO estão claros. Um REFERENDO À ESCALA GLOBAL, pela Internet (e outras vias virtuais), propondo, pondo à votação referendária e vigiando a execução deste PROGRAMA DE OBJECTIVOS DA CAUSA MUNDIAL (que terá um período curto de revisão e alargamento a partir de propostas).

É preciso pouca coisa

(1) uma entidade centralizadora do processo (se não for a ONU, será uma confederação de ONG’s e de Igrejas e de Associações cívicas e de partidos), a convidar

(2) a tradução para as principais línguas, para que as pessoas respondessem, se possível, na sua língua, durante um ano,

(3) a mobilização de activistas mediáticos e locais para levar a bom porto esta CAUSA MUNDIAL

(4) centralizar a contagem mundial, nacional e étnica dos resultados PRO e CONTRA (darão uma preciosa indicação de quais são as forças organizadas pata manter e alimentar PATOLOGIAS HISTÓRICAS)

(5) organizar uma intensa campanha mediática de difusão e a organização das pessoas para promover e vigiar a execução prioritária destes OBJECTIVOS MUNDIAIS.

José Gabriel Pereira Bastos 

Retirado do Facebook | Mural de José Gabriel Pereira Bastos 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.