LÉON TOLSTOI | Le Diable

Irténiev, propriétaire terrien, est un homme sérieux, qui gère son domaine avec efficacité et rigueur.

Marié à la douce et fragile Lise, romantique amoureuse qui l’idéalise, Irténiev fait de son mieux pour être à la hauteur.

C’est sans compter sur Stépanida, une belle paysanne impudique, au regard de braise, au corps vigoureux et à la peau laiteuse, qui met tous ses sens en émoi…

Peut-on résister aux tentations de la chair ? Tolstoï nous dresse un tableau diabolique de la sensualité.

Carl Perkins, George Harrison, Eric Clapton, Ringo Star | Medley – 9/9/1985 – Capitol Theatre

This clip is historic. Carl Perkins, George Harrison (who snagged/developed Carl’s licks to make his own sound), Eric who played with Carl during a Derek & the Dominos set on the Johnny Cash Show (YouTube it), Dave Edmunds, Ringo, cats from the Stray Cats, & Rosanne Cash.

The joy on their faces says it all! And George in awe, having the time off his life, looking at Carl for Daddy’s approval. And he got it! Thx for the upload!

Carta aos meus filhos sobre Freitas do Amaral (onde se fala do CDS) | por Luís Osório

1.

Sabem o que sou politicamente.

Sou do mesmo lugar onde sempre me encontraram.

Mas sabem também da minha vontade que sejam abertos para o mundo, a vontade que escutem todas as partes, que conheçam as histórias de mulheres e homens que não pensam como eu.

Nestes dias em que se anuncia a morte do CDS gostaria de vos falar de um homem que morreu há dois anos, os mais velhos sabem quem foi, os outros um dia saberão.

Chamava-se Diogo Freitas do Amaral

2.

Foi um vencedor.

Um vencedor que não marcou golos como os gigantes do futebol, um vencedor que perdeu as batalhas políticas mais importantes da sua vida, um vencedor que viveu os últimos anos da sua vida condenado pelas elites políticas e jornalísticas ao estatuto de personagem secundário.

É um interessante paradoxo.

Fundou o CDS. Mas no CDS não gostavam dele. Chegaram a tirar a sua fotografia da sede, Paulo Portas condenou-o ao ostracismo. Como antes condenara Lucas Pires.

Interessante que agora são os mesmos que condenaram Freitas do Amaral ao esquecimento a rasgarem as vestes contra a incrível falta de democracia interna e memória por parte da nova liderança.

Continuar a ler

162 livros essenciais da literatura mundial | por Revista Prosa Verso e Arte

“O mundo está cheio de livros fantásticos que ninguém lê.”
Umberto Eco

Não foi fácil escolher, mas aqui está uma lista com 162 grandes títulos da literatura mundial, incluindo obras nacionais e latino-americanas.

A lista apresentada pela Revista Prosa, Verso e Arte tem por objetivo tanto estimular a leitura dos clássicos, como incentivar que os leitores e leitoras produzam suas próprias listas.

1. O Nome da Rosa – Umberto Eco (1980)

2. O Pêndulo de Foucault – Umberto Eco (1988)

3. O Estrangeiro– Albert Camus (1942)

4. A Peste – Albert Camus (1947)

5. Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley (1932)

6. 1984 – George Orwell (1949)

7. A Revolução dos Bichos – George Orwell (1945)

8. Os Irmãos Karamázov – Fiódor Dostoiévski (1880)

9. Crime e Castigo – Fiódor Dostoiévski (1866)

Continuar a ler