Cartão de Cidadão | Inês Salvador

Ines Salvador -200Uma moça ser portadora de um cartão é sempre discriminatório, porque todo o cartão é gaijo no género. Para mim, a coisa bem feita era os gaijos passarem a ter cartona de cidadão. É que alterando-se o cidadão para cidadania, o mal continua lá, no cartão, que em gaija, assim de repente, não passa de cartolina.

Nestes inquietantes pensamentos tentei escrever um parágrafo sobre o que fosse e que pudesse não ser discriminatório no genérico e desisti. Já sabíamos que a língua portuguesa, sendo do género feminino, é machista, tal como uma lamentável e grande parte das mulheres portuguesas. Daria isto uma grande conversa a que agora não me disponho. Apenas digo que, se a “nossa pátria é a língua portuguesa”, ela é também causa, sinal e sintoma dos nossos inconscientes condicionamentos mais básicos. A luz ao fundo do túnel não é um comboio, é a paridade sexual.

Foi isto durante o meu jantar, olhei para a mesa e lá estava a postos a ferramenta, uma colher, uma faca e um garfo, e pensei, duas para um, isto é um threesome, que ganda maluca me saiu a cutelaria!

Retirado do Facebook | Mural de Inês Salvador

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s