A NOVA ORDEM MUNDIAL NÃO É UMA ‘TEORIA DA CONSPIRAÇÃO’ | José Gabriel Pereira Bastos

Quem se informa sabe que a Nova Ordem Mundial é um Projecto Imperial Anglo-Americano, herdeiro do Secretismo Maçónico (inscrito na nota do Dollar) e do Suprematismo WASP (racista), dotados de um “Destino Manifesto” e de um “Excepcionalismo” que configuraram o século XIX americano, projecto esse criado com Instituições próprias (Council on Foreign Relations, em Nova York, Chattam House, em Londres), logo à saída da Guerra de 1918, tendo enormes desenvolvimentos funcionais entre guerras, que não cabe aqui enunciar.
(“The Century of the Self”, abaixo, pode servir de Introdução).

A vitória de 45 levou ao relançamento de novas Organizações Instrumentais (NATO, ONU e organizações satélites, etc.) e de inúmeras “iniciativas privadas”. antevendo e propulsionando o futuro WASP Idealizado.

Em 1952, Bertrand Russell publicou “A última oportunidade do homem” (New Hopes for a changing world, New York, Simon and Shuster), contendo o Projecto Despótico da Globalização Anglo-Americana (que o Brexit actual vai reforçar), sob a forma antevista e proposta de uma Ditadura Militar por um século até que todos os povos dos cinco continentes se submetam pela Força à “Nova Democracia Mundial” WASP.

Em 1956, os Rockfeller e Rostchild criaram o Clube Bilderberg (e seguintes, Clube Roma e Trilateral) para promoverem em DIPLOMACIA SECRETA a União Europeia ao serviço da Nova Ordem Mundial. Todos os líderes “democráticos” do Bloco Central, convidados por Balsemão, participaram desde 1975 (e até no tempo do Estado Novo) sem darem contas aos Portugueses, e os media, como “Voz do seu Dono”, silenciaram. Na década de 90, o Rockfeller então liderante agradeceu publicamente meio século de conivência mediática na manutenção do secretismo Elitista. Informar o povo não interessa ao Olimpo Americano. O que é secreto é secreto e a NWO, entendamo-nos, é uma Conspiração e, por isso, é secreta.

Pelo meio foram introduzidas as Culturas Juvenis, a Química Cerimonial e as Políticas do Êxtase, a alienação através da Interação ritual e da Burocratização Gestionária, a Sociedade de Consumo, a Cultura do Narcisismo, a Era do Vazio, a Produção Social da Indiferença, a Sociedade do Espectáculo e do audiovisual, as Políticas da Identidade e o Pós-Modernismo, promovendo a Despolitização Generalizada que desembocou no retorno dos anarquismos fragmentários, dos activismos selvagens e das religiões, dos Populismos, das Ocupações e das Acampadas, como formas vazias da Acção Política.

No final do século, Dick Cheeney, preparando a vinda à terra do Século Americano, enveredou pela INVASÃO MILITAR do Islão que fôra Britânico por um tempo (Afeganistão, Iraque), para sacar petróleo, favorecer a Arábia Saudita e a Turquia, promover a expansão de Israel, cujo nascimento os Rostchild tinham pago aos Ingleses, senhores estratégicos da Palestina, concretizando a promessa que Lord Chamberlain tinha feito publicamente à saída da guerra acabada em 18, aproveitando a implosão do Império Otomano.

O Mecenato Digital e o contrôlo do Mundo Farmacológico introduz uma nova variável exposta na série de vídeos sobre Bill Gates (as empresas digitais promoveram uma enorme concentração de capital e de meios de manipulação das massas), o qual lidera a herança política dos Rockfeller, Senhores dos Petróleos e principais promotores americanos da Nova Ordem Mundial. desde que, em 1912, com os Rostchild, obtiveram a privatização do FED, que passaram a controlar, ligando, entre guerras, Wall Street à City, Frankfurt e Genebra. A Nova Ordem Bancária, com os seus Pasos Fiscais e mega-corrupções de políticos, antecede e anuncia a Nova Ordem Mundial.

Trump não é um ‘palhaço’, como parece. É um líder Americano Suprematista que (como os anteriores), desconhece qualquer humanismo e binariza o Mundo a preto e branco (´winners’ and ‘loosers’, fortes e fracos, ricos e pobres).

A falsificação digital dos processos eleitorais democráticos nos USA e na Inglaterra garante agora a nova fase do Projecto, com a fractura da União Europeia (que já não interessa), com a Bolsonarização do Brasil, com a destruição do G7 e com a retirada de apoio aos organismos satélites da ONU e, nomeadamente à Organização Mundial da Saúde.

A expansão para a Grande Israel está agora a ser realizada à pressa, antes que Nethaniou caia, com a transferência da capital para Jerusalém e a integração da Cisjordânia conquistada militarmente, patrocinadas por Trump, que financia os partidos populistas e radicais da Ibéria fascista (como o Chega e o Vox), dos Antigos Impérios naziformes (Hungria, Áustria, Turquia) e da Europa de leste saída da alçada russa, sem tradições democráticas.

Russel propunha o IMPÉRIO DA FORÇA, a caminho da “Conquista da Felicidade”. O capítulo X analisa o “Conflito de Civilizações” e o capítulo XI, “O governo mundial”, que Huntington (“The Clash of Civilizations and the Remaking of World Order”) retoma em 96, preparando a nova vaga imperialista que Dick Cheeney ensaiará concretizar, aproveitando o 9 / 11 (que muitos americanos lhe atribuem). A pérola está na pag. 84 (Capítulo VIII, “O Império da Força”): “Quando um Governo Mundial único, incarnando a supremacia militar de uma nação ou de um bloco de nações estiver no poder durante um século (…) poderá então tornar-se democrático.”

A URSS e agora a China retardaram o “governo mundial” WASP, para o qual não foram convidadas.

Despotismo militar por um século, diplomacia dos Think Tanks secretos, monopolização e contrôlo dos media, introdução do individualismo e da sociedade do espectáculo, manipulação política internacional, promoção do neo-capitalismo financeiro desmaterializado, guerra das religiões (evangélicos e judeus contra muçulmanos), mecenato farmacológico capaz de reduzir a fecundidade das populações submetidas, programação de um Estado de vigilância e contrôlo digital das populações (agora tratadas como “públicos” a serem dirigidos por privados), avanço do eugenismo populacional, militarização do Espaço,

várias Novas Ordens Mundiais avançam por linhas diversas que um dia convergirão em rede que se fechará,

enquanto por cá os mais distraídos discutem o Marcelo e o Costa, em luto falhado pela rápida implosão soviética que ainda não está estudada de forma esclarecedora, mas que foi uma peça importante do Projecto da Nova Ordem Mundial, a que Putin agora resiste.

Na falta de um Semanário de Esquerda não-partidário, para o qual propus como colaboração grátis uma coluna sobre o “Mal-estar na Civilização actual”, trabalho aqui no FB. Quando houver uma Editora interessada, tenho este material investigado a fundo nos últimos 6 anos.

Aceito colaborações, estudei a história americana WASP desde a sua Fundação. Há quem conheça outras peças do puzzle Imperial. Em equipa, vai-se mais longe.

José Gabriel Pereira Bastos

Retirado do Facebook | Mural de José Gabriel Pereira Bastos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.