‘Bocage, o perfil perdido’ ganha edição brasileira | por Adelto Gonçalves

SÃO PAULO – O poeta português Manuel Maria de Barbosa du Bocage (1765-1805), ícone da poesia em Língua Portuguesa, não nasceu na rua de São Domingos, atual rua de Edmond Bartissol, em Setúbal, como mostra uma placa ali instalada há mais de um século, mas ao Largo de Santa Maria com a rua de Antônio Joaquim Granjo, antiga rua das Canas Verdes, na mesma cidade. Esse e outros pormenores desconhecidos do poeta, como o tempo real de sua prisão e detalhes de sua obra e de seus últimos dias, constam do livro Bocage, o perfil perdido, do pesquisador brasileiro Adelto Gonçalves, que acaba de ser publicad o pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp), 18 anos depois da edição portuguesa que saiu pela Editorial Caminho, de Lisboa.
            Como a editora observa na contracapa, Bocage, o perfil perdido é biografia exaustiva e rigorosamente documentada. Já em si controversa, a história de vida do poeta é contextualizada pelos tempos tormentosos nos quais viveu, em que ocorreram a queda do marquês de Pombal, a ação do intendente de Polícia Pina Manique e a campanha do Rossilhão, entre outros fatos importantes. A biografia recua ao avô do poeta, apresenta sua árvore genealógica desde os bisavôs, abrangendo toda a sua vida, a passagem pelo Rio de Janeiro, Ilha de Moçambique e Índia, e sua participação e expulsão da Nova Arcádia.


            Adelto Gonçalves expõe alguns erros históricos. Além do endereço da casa onde o poeta nasceu, o pesquisador corrige outros equívocos, apresentando importantes descobertas, desde a prisão de seu pai, e informações inéditas, como a sobrevivência da Nova Arcádia em Lisboa até 1801. Do último período da vida de Bocage, relata suas contendas com os censores da Real Mesa da Comissão Geral sobre o Exame e Censura de Livros, e a atuação como tradutor e revisor na Oficina Tipográfica, Calcográfica, Tipoplástica e Literária do Arco do Cego. E reconstitui os últimos dias do poeta, que morre em Lisboa em 21 de dezembro de 1805.
            Bocage, o perfil perdido estende-se muito além de sua morte, restabelecendo os embates relacionados à memória do poeta entre elmanistas, partidários de Bocage, e José Agostinho de Macedo, seu feroz opositor. Recupera cartas inéditas deixadas por sua irmã Maria Francisca, mostrando-a ludibriada por “falsos amigos”. A biografia apresenta descobertas como a prisão do pai do poeta na cadeia do Limoeiro, de 1771 a 1777, acusado como ouvidor de Beja de ter desviado a arrecadação da décima referente ao ano de 1769.
            Outra informação importante, segundo o escritor, é que o poeta, preso em 1797, permaneceu detido mais tempo do que se sabia, até o último dia de 1798, quando saiu do Real Hospício de Nossa Senhora das Necessidades. O livro é resultado de um ano de pesquisas em arquivos portugueses, com bolsa de pós-doutoramento da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (Fapesp).
            No prefácio que escreveu para este livro, Fernando Cristóvão, professor catedrático de Literatura da Universidade de Lisboa, lembrou que “o interesse de Adelto Gonçalves por Bocage radica-se numa tradição brasileira, tanto erudita como popular, que sempre acolheu o poeta com especial carinho. Quer as pessoas cultas, apreciando a perfeição dos seus versos, especialmente os sonetos, quer a gente do povo recordando ou inventando um anedotário brejeiro”.
Currículo – Adelto Gonçalves (1951), nascido em Santos-SP, é jornalista desde 1972, quando começou a trabalhar no extinto jornal Cidade de Santos, do grupo Folhas. Tem passagens pelos jornais A Tribuna, de Santos, O Estado de S. Paulo e Folha da Tarde e pelas editoras Abril e Globo. Em Portugal, é colaborador do quinzenário As Artes Entre as Letras, do Porto, e das revistas Vértice e Colóquio/Letras, de Lisboa. É também colaborador do Jornal Opção, de Goiânia, do < i>Diário do Nordeste, de Fortaleza, e da revista digital VuJonga, de Lisboa, dedicada aos povos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), entre outros sites do Brasil e Portugal.
Doutor em Letras na área de Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo (USP), é mestre em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-americana pela mesma instituição. Seu trabalho de doutorado Gonzaga, um Poeta do Iluminismo, sobre o poeta Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810), foi publicado em 1999 pela Editora Nova Fronteira, do Rio de Janeiro, com prefácio do poeta Alberto da Costa e Silva, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL).
Foi professor titular da Universidade Santa Cecília (Unisanta) e Universidade São Judas-Unimonte, nos cursos de Jornalismo, e da Universidade Paulista (Unip), nos cursos de Direito e Pedagogia, em Santos. É autor de Mariela morta, contos (Ourinhos, Complemento, 1977), Os vira-latas da madrugada, romance (Rio de Janeiro, José Olympio, 1981; Taubaté-SP, Editora Letra Selvagem, 2015), Barcelona brasileira, romance (Lisboa, Nova Arrancada, 1999; São Paulo, Publisher Brasil, 2003), Fernando Pessoa: a voz de Deus, artigos e ensaios (Santos, Editora da Unisanta, 1997); Tomás Antônio Gonzaga, estudo biográfico-crítico (Rio de Janeiro/São Paulo, ABL/Imesp, 2012 ); e Direito e Justiça em terras d´el-rei na São Paulo colonial – 1709-1822, ensaio histórico (São Paulo, Imesp, 2015). Em 2019, publicou também pela Imesp o livro O reino, a colônia e o poder: o governo Lorena na capitania de São Paulo – 1788-1797, ensaio histórico.
Prêmios – Ganhou os prêmios José Lins do Rego de Romance (1980) da Livraria José Olympio Editora, do Rio de Janeiro; Fernando Pessoa (1986) da Fundação Cultural Brasil-Portugal, do Rio de Janeiro; Assis Chateaubriand (1987) e Aníbal Freire (1994) da Academia Brasileira de Letras, e Ivan Lins de Ensaios (2000) da União Brasileira de Escritores e Academia Carioca de Letras.
______________________
Bocage, o perfil perdido, de Adelto Gonçalves, com prefácio de Fernando Cristóvão. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp), 520 págs., 2021, R$ 85,00. O exemplar pode ser adquirido por meio do site da Imesp: https://livraria.imprensaoficial.com.br/bocage-o-perfil-perdido.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.