BOCAGE | Auto-retrato

Magro, de olhos azuis, carão moreno,

Bem servido de pés, meão na altura,

Triste de facha, o mesmo de figura,

Nariz alto no meio, e não pequeno;


Incapaz de assistir num só terreno,

Mais propenso ao furor do que à ternura;

Bebendo em níveas mãos, por taça escura,

De zelos infernais letal veneno;


Devoto incensador de mil deidades

(Digo, de moças mil) num só momento,

E somente no altar amando os frades,


Eis Bocage em quem luz algum talento;

Saíram dele mesmo estas verdades,

Num dia em que se achou mais pachorrento.

BOCAGE

Manuel Maria l’Hedoux de Barbosa du Bocage nasceu na cidade de Setúbal a 15 de Setembro de 1765. Correu as terras distantes do Oriente e os mares que rondam África até regressar a Lisboa e aderir à Nova Arcádia.
Em pouco tempo se separou deste movimento dado o seu espírito inconformista.
Aventureiro e sedento de liberdade, sofreu as perseguições da polícia de Pina Manique.
O romantismo de Bocage é evidente no tom autobiográfico e confessional da sua poesia.
Bocage foi, ainda, um poeta repentista e satírico, factos que fizeram dele uma figura popular do anedotário português.
Faleceu em Lisboa com 40 anos de idade.

http://cvc.instituto-camoes.pt/poemasemana/18/retratos2.html

Setúbal celebra 250 anos de Bocage

Foto da CM de Setúbal

Os 250 anos do nascimento de Bocage são assinalados em Setúbal com um programa comemorativo que, ao longo de um ano, até setembro de 2016, promove a realização de vários eventos culturais.

As Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage, que incluem, por exemplo, concertos, exposições, apresentações de obras literárias e peças de teatro, procuram também, acrescentou, “internacionalizar mais Elmano Sadino”, além de “trazer Bocage para o século XXI”.

“Foi o que hoje se chamaria, um grande intelectual, ainda que esta palavra irrite meio mundo. Foi tradutor dos clássicos gregos, foi dramaturgo, foi um literato, foi um imenso poeta.”, Cristina Carvalho no  Das Letras.

Saiba mais sobre as comemorações em Setúbal aqui.