23 de Fevereiro de 532 | O Imperador Justiniano ordena a construção da Basílica de Santa Sofia em Constantinopla

O imperador Justiniano I, juntamente com o patriarca Eutíquio de Constantinopla, inauguraram a basílica de Santa Sofia em Dezembro de 537 com pompa e circunstância.

A decisão da construção da basílica aconteceu a 23 de Fevereiro de 532, apenas alguns dias depois da destruição da segunda basílica, Justiniano I decidiu construir uma terceira, completamente diferente, maior e muito mais majestosa que as suas antecessoras.
Justiniano escolheu o médico Isidoro de Mileto e o matemático Antémio de Trales como arquitectos, mas Antémio morreu ainda no primeiro ano da empreitada. A construção foi descrita na obra “Sobre Edifícios” do historiador bizantino Procópio. O imperador mandou buscar materiais de construção de todo o império – colunas helénicas retiradas do Templo de Artemis, em Éfeso – uma das Sete Maravilhas do Mundo – , grandes blocos de pórfiro de pedreiras no Egipto, mármores verdes da Tessália, pedras negras do Bósforo e amarelas da Síria. Mais de 10 mil pessoas foram empregadas na construção. A nova igreja foi logo reconhecida como um grande feito de engenharia e arquitectura. Santa Sofia tornou-se então a sede do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla e o local preferido para realização de cerimónias oficiais do Império Bizantino.

Continuar a ler