Qatar: como sobreviver à base de sol e água salgada

O Informador

Graças aos milhões dos petrodólares, o Qatar está a tornar-se um tubo de ensaio para os desafios do século XXI: abastecimento de energia, água e comida. Graças a soluções tecnológicas extremamente caras, experiências como o Sahara Forest Project, estão a transformar água do mar e luz do sol – os seus maiores bens – em água potável, vegetais, electricidade, biofuel e comida para animais. Uma reportagem do Center for Investigative Reporting.

View original post

FLIP, uma festa de tradição.

Blogue do IILP

images (4)A Festa Literária Internacional de Paraty, a FLIP, uma das  maiores festas de literatura do Brasil, encerrou ontem (07.06) e reuniu durante cinco dias mais de 2o mil  pessoas em Paraty, Rio de Janeiro, Brasil. O ponto alto, segundo os coordenadores do evento, foram as discussões políticas pautadas pelas manifestações que tomam o país desde junho.

Para fortalecer e fundamentar ainda mais as  discussões sobre o quadro atual brasileiro a festa teve como homenageado Graciliano Ramos, autor pautado por “preocupações políticas na sua obra e pelas implicações do lugar do intelectual no Brasil”, disse o curador da FLIP,  Miguel Conde.

images (5)Este ano, além da programação principal da FLIP que trouxe uma série de palestras, algumas ligadas diretamente ao escritor, outras com temas mais amplos, eventos paralelos como a Flipinha, dedicada ao público infantil, disputaram olhares e público. Além disso, exposições e shows formaram o cenário cultural desta grande festa.

Liz Calder, idealizadora da…

View original post mais 73 palavras

Quem se aproxima da Igreja deve encontrar portas abertas e não fiscais da fé!” (Papa Francisco)

“ Pensai numa mãe solteira que vai à Igreja, à paróquia e diz ao secretário: Quero batizar o meu menino. E quem a acolhe diz-lhe: Não tu não podes porque não estás casada. Atentemos que esta mãe que teve a coragem de continuar com uma gravidez o que é que encontra? Uma porta fechada. Isto não é zelo! Afasta as pessoas do Senhor! Não abre as portas! E assim quando nós seguimos este caminho e esta atitude, não estamos fazendo o bem às pessoas, ao Povo de Deus. Jesus instituiu 7 sacramentos e nós com esta atitude instituímos o oitavo: o sacramento da alfândega pastoral. (…) Quem se aproxima da Igreja deve encontrar portas abertas e não fiscais da fé!”

(Papa Francisco)

Papa

A Verdadeira Vida de Sebastian Knight, de Vladimir Nabokov

Este é o primeiro romance escrito em inglês por Vladimir Nabokov, também ele de origem russa. Provavelmente, tal como Sebastian Knight, lhe aconteceu ficar “escarlate quando, por algum defeito de elocução, um ouvinte mais obtuso não compreendia bem uma frase sua.”

Advinha-se um lado autobiográfico nesta obra. Nabokov não entrega o papel de narrador a Sebastian Knight, mas a uma terceira pessoa; não um completo estranho, mas um seu meio-irmão. Estabelecendo assim um triângulo de cumplicidades. Talvez Nabokov se tenha desdobrado nos dois personagens: Sebastian e o seu meio-irmão, o narrador do livro.

Ler mais em Acrítico – leituras dispersas