Amar e ser amado | Carlos Esperança

Amar e ser amado

Sabem lá os trogloditas o que é amar, o que é a sedução mútua entre iguais, o que é um barco que navega o mar, sem a quilha magoar as águas que se abrem para o acariciar!

Eles sabem lá o que é o amor entre pessoas livres! Ignoram a beleza da rosa, o perfume que exala, o deleite de descobrir, pétala a pétala, o androceu e o gineceu dos corpos que se fundem na dádiva recíproca do amor que só a liberdade consente!

Eles não sabem o que é explodir em êxtase no Paraíso do amor, só sabem explodir em ódio, desfeitos com o cinto de bombas, em busca do Paraíso que lhes inventaram.

Ah, se soubessem o que é o amor, se sonhassem que só desperta para o sortilégio quem é livre, que amar implica receber e dar, em igualdade, não haveria casamentos forçados, amor sem amar, afetos sustidos onde sobram caprichos de um profeta devasso e valem mais os preconceitos e a repressão do que os sentidos e sentimentos.

Eles odeiam a cor, os sons e as formas, repudiam a música, a pintura e a escultura, e não se conformam com a beleza que a poesia encerra e só a liberdade permite fruir.

Ninguém é livre entre escravos. Ninguém ama, se o desejo não for recíproco e mútua a paixão. Há civilizações mortas que deixaram sonâmbulos a cultivar o ressentimento.

Não me peçam respeito para a opressão ou benevolência para quem exige a submissão.

Carlos Esperança

Retirado do Facebook | Mural de Carlos Esperança

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.