Citação | Francisco Seixas da Costa

FranciscoSeixasdaCosta

A mim, preocupa-me apenas o futuro e, dentro deste, a triste constatação de que estamos perante um sistema bancário frágil, que reflete uma economia frágil, de um país muito frágil. O qual, sendo o nosso, merece que essa nossa preocupação e angústia nos levem à exigência máxima – de rigor, probidade e transparência – sobre aqueles que voluntariamente se oferecem para o gerir, no governo, parlamento e outras instituições do Estado.

Retirado do Facebook | Mural de Francisco Seixas da Costa

“união” de muros de vergonha | Tomás Vasques

tomas vasques - 200A Europa transformou-se, pela mão da Alemanha, numa “união” de muros de vergonha, de punições e sanções. Uma “união” dirigida por gente ao serviço do mundo financeiro, dos goldman-sachs, durante e depois de ocuparem os cargos da nomenclatura europeia; carreiristas que detestam os povos, os pobres, a democracia, a solidariedade. Para que serve uma Europa assim?

Retirado do Facebook | Mural de Tomás Vasques

Quem poderá calcular a órbita da sua própria alma? | Oscar Wilde

AVT_Oscar-Wilde_4268Quem Poderá Calcular a Órbita da sua Própria Alma?As pessoas cujo desejo é unicamente a auto-realização, nunca sabem para onde se dirigem. Não podem saber. Numa das acepções da palavra, é obviamente necessário, como o oráculo grego afirmava, conhecermo-nos a nós próprios. É a primeira realização do conhecimento. Mas reconhecer que a alma de um homem é incognoscível é a maior proeza da sabedoria. O derradeiro mistério somos nós próprios. Depois de termos pesado o Sol e medido os passos da Lua e delineado minuciosamente os sete céus, estrela a estrela, restamos ainda nós próprios. Quem poderá calcular a órbita da sua própria alma?

Oscar Wilde, in ‘De Profundis’

Citações (3) | Inês Salvador

Ines Salvador -200citação 1 – A propósito de não ter ido à inauguração do Túnel do Marão, Pedro Passos Coelho disse que “nunca” esteve numa obra de inauguração enquanto liderou o Governo. Sobre isto quero dizer que nunca estreei um par de sapatos, não uso maquilhagem, nunca fui para os copos e nunca falhei uma ida ao ginásio.

citação 2 – Informação | José Sócrates e o Túnel do Marão

Nas televisões estão a inaugurar o túnel do Marão ou estão a inaugurar o José Sócrates? É que cada vez que tento ver o túnel do Marão, o que me mostram é o José Sócrates, que sendo um homem que uma moça gosta de ver, e não sabendo e não sendo da minha conta, mas pensando eu de que, não é exatamente o túnel do Marão e já se terá inaugurado no que achou que se devia inaugurar.

Televisões, só hoje já vi o José Sócrates vinte vezes, é possível mostrarem também o túnel do Marão?

citação 3 – Da semana que passou

“Sem o “oval” do meu sócio não decido nada… Nãaaa, nem pensar, sem o “oval” do meu sócio não avanço”, um senhor sobre tomar uma decisão.

“Obrigada, foi muito “explícida”, p’ra mim está “explícido”, ficou tudo muito explícido”, um senhor a quem dei uma informação.

“Isso não tem “anexo” nenhum, não faz sentido, são coisas sem “anexo”, não pode ser”, um senhor ao tomar conhecimento de um procedimento.

“Eu meto sempre no segundo buraco, também gosto no primeiro, mas meto sempre no segundo, dantes metia no primeiro, mas agora aleija-me, até faz ferida”, uma moça sobre colocar um brinco na orelha que tem três furos.

No IKEA há almôndegas vegetarianas, 4,99€/kg

O Amor continua lindo, a vida é bela, embora esteja de chuva.

Bom fim-de-semana!

 

07.05.2016 | Retirado do Facebook | Mural de Inês Salvador

 

LES RÊVES | Jean Cocteau

” Les rêves sont la littérature du sommeil. Même les plus étranges composent avec des souvenirs. Le meilleur d’un rêve s’évapore le matin. Il reste le sentiment d’un volume, le fantôme d’une péripétie, le souvenir d’un souvenir, l’ombre d’une ombre.”

(Le Mystère laïc – Jean Cocteau)

reve

Citação | Bertrand Russell

bertrand-russell“Moralistas são pessoas que renunciam às alegrias corriqueiras para poder, sem culpa e recriminação, estragar a alegria dos outros.”

Biografia: Bertrand Arthur William Russell, 3º Conde Russell foi um dos mais influentes matemáticos, filósofos e lógicos que viveram no século XX. Político liberal, activista e um popularizador da filosofia, Russell foi respeitado por inúmeras pessoas como uma espécie de profeta da vida racional e da criatividade. A sua postura em vários temas foi controversa.
18 de Maio de 1872 | 2 de Fevereiro de 1970

 

Victor Hugo | J’ai donc dit qu’il fallait aimer le peuple.

Victor_Hugo - 150Victor Hugo (26 février 1802 – 22 mai 1885) est un homme aux multiples facettes : écrivain, féministe, socialiste etc. Mais l’auteur des Misérables est surtout un humaniste. Chacun de ses combats ont été avant tout motivés par le besoin de remettre l’homme au centre de la vie politique et sociale. Dans cette lettre qu’il adresse au rédacteur de La Ruche populaire et ouvrier, l’homme de Lettres clame haut et fort l’importance d’adopter un regard universel sur l’essence de l’homme, peu importe son origine sociale.

 

 

Continuar a ler

Charles Baudelaire | Citação

Charles_Baudelaire 598

É preciso estar sempre embriagado. Eis aí tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do Tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua.
Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa maneira. Mas embriagai-vos.
E se, alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre a grama verde de um precipício, na solidão morna do vosso quarto, vós acordardes, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, perguntai ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que foge, a tudo que geme, a tudo que anda, a tudo que canta, a tudo que fala, perguntai que horas são; e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio, responder-vos-ão: ‘É hora de embriagar-vos! Para não serdes os escravos martirizados do Tempo, embriagai-vos: embriagai-vos sem cessar! De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa maneira.

Orson Welles | O verdadeiro jornalismo relata um facto, o jornalismo depravado alimenta-se dele.

orson welles 250«( …) o cinema não é um meio de informação mas de divertimento. Isto é verdade. Mas é igualmente verdade que o jornalismo entra em estreita concorrência com o cinema no domínio do entretenimento popular. O verdadeiro jornalismo relata um facto, o jornalismo depravado alimenta-se dele. De qualquer forma, nunca pode ir além da observação e do comentário. Se tenta ultrapassá-los encontramo-nos, nós cineastas, perante uma tentativa de concorrência no domínio, não apenas do entretenimento, mas também da ficção. “Tentativa” apenas pois não tem possibilidade de fabricar mesmo má ficção com a matéria bruta dos factos. Pois a ficção não é uma versão do que aconteceu. É o que teria podido acontecer, e não a versão de seja o que for. A ficção pede a invenção. O jornalismo impede-a»

Da experiência nas esplanadas | Inês Salvador in Facebook

InesAcredito pouco na qualidade do silêncio. Quem não diz nada é porque não tem nada para dizer. É ver o desembaraço a falar dos sapatos da zara e das almofadas do ikea, do Benfica e da cor do carro. Sobre política, religião e sexo não se fala, porque disso não se fala. Está tudo dito. Nos Estados Unidos é tudo bom, a religião islâmica é toda má e só não vimos de Paris no bico de uma cegonha, porque as pessoas agora já fazem o que querem. Mas das pessoas também não se fala, não vá isso descambar para a política, religião ou sexo. Dos outros é que já se fala com o mesmo desembaraço com que se fala das almofadas do ikea, “essa gaja anda desaparecida, deve andar metida com algum”. E nisto continuam todos de acordo. Sobre o que suscite opinião diversa é que não se fala. Se não estiverem todos de acordo estraga-se a tarde. Este país, Portugal, é uma vergonha, só neste país é que isto acontece. “Isto” é uma abstração que serve para tudo neste Portugal que é de outros portugueses, nunca dos portugueses intervenientes na conversa. Ser português parece ter a fatalidade de uma visita de estudo da lição que não se estuda. Uma espécie de turismo conformado em que os outros é que sabem. Os outros, os políticos, que eles é que quiseram ir para lá. Os caracóis é que não estão maus. E a gaja que não atende o telefone, deve andar mesmo metida com algum. Chegam os cafés que se tomam em separado. Mulheres para um lado, homens para o outro, sentados à mesma mesa, porque a conversa tem género e fora do género não há nada para dizer.

Caiu o homem da cadeira, mas pouco.