DiEM25 | Novo Colectivo Coordenador

Os membros do DiEM25 votaram e emergiu um novo Colectivo Coordenador. Os vencedores como os candidatos, são representativos do nosso movimento: Intelectuais, artistas, activistas e cidadãos preocupados que estão representados nos resultados das eleições!

Fica a conhecer as mulheres e os homens que escolheste para guiar o nosso movimento nos meses que se avizinham!

  • Noam Chomsky, reeleito (76.2%) – 2942 votos
  • Virginia López Calvo ( 56.57%) – 2184 votos
  • Brian Eno, reeleito (49.31%) – 1904 votos
  • Renata Avila, reeleito (45.43%) – 1754 votos
  • Rosemary Bechler, reeleito (38.64%) 1492 votos
  • Eírini Mítsiou (35.15%) 1357 votos

Obrigado por participares neste importante processo democrático. Estas eleições tornam o nosso movimento mais forte, mais inclusivo e dizem ao mundoO DiEM25 está a trazer para a política uma revolução de cidadãos organizados!

Lê mais aqui sobre o processo de eleições para o CC e sobre os candidatos a quem deste o poder para nos ajudar a seguir em frente.

Aos nomeados cujas candidaturas não foram bem sucedidas, agradecemos por participarem e esperamos que continuem a trabalhar connosco. O CC é apenas uma das muitas maneiras que podemos ajudar a Europa a organizar-se através do DiEM25.

Temos também outras notícias para partilhar: o DiEM vai participar na Fête de l’Humanité em Setembro e está a decorrer um evento de crowdfunding, segue o link seguinte para fazeres a doação: https://internal.diem25.org/donations/to/fete.

Carpe DiEM!

Luis Martín » Coordenador de Comunicações do DiEM25

PS: O nosso partido político alemão Demokratie in Europe (DiE) acabou de negociar um acordo de cooperação eleitoral com outro partido político, o Demokratie in Bewegung (DiB).  Em breve haverá um voto.

10 estratégias de manipulação da mídia | Noam Chomsky

Noam_Chomsky

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As grandes estratégias da manipulação mediática por Noam Chomsky

1 – A Estratégia da Distração.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração, que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças que são decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundação de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir o público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais na área da ciência, economia, psicologia, neurobiologia ou cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais” (citação do texto ‘Armas Silenciosas para Guerras Tranquilas’).

2 – Criar problemas e depois oferecer soluções.

Este método também se denomina “Problema-Reação-Solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que seja este quem exija medidas que se deseja fazer com que aceitem. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja quem demande leis de segurança e políticas de cerceamento da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer com que aceitem como males necessários o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

Continuar a ler

The End of History? | BY NOAM CHOMSKY

Noam 02
An Indian army camp on the “world’s highest battlefield,” the Siachen Glacier. Long the site of brutal battles between India and Pakistan, the glacier is now melting as the result of climate change. (Annirudha Mookerjee/Getty Images)

It is not pleasant to contemplate the thoughts that must be passing through the mind of the Owl of Minerva as the dusk falls and she undertakes the task of interpreting the era of human civilization, which may now be approaching its inglorious end.

Continuar a ler

Noam Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação dos Media

O linguista estadunidense Noam Chomsky elaborou a lista das “10 estratégias de manipulação” através da mídia:

1- A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto ‘Armas silenciosas para guerras tranquilas’)”.

Noam Chomsky

2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

Continuar a ler

Mudar o Mundo

Exijam o impossivelNoam Chomsky e David Barsamian analisam as grandes questões do século XXI.

Mudar o Mundo reúne as conversas entre Noam Chomsky e David Barsamian sobre as grandes questões que se impõem no despontar do século XXI, ao nível político, social e do indivíduo como parte da sociedade, explorando as preocupações mais urgentes e imediatas: o futuro da democracia no mundo árabe, as implicações do desastre nuclear de Fukushima, a «luta de classes» entre os interesses económicos dos EUA e os trabalhadores e classes menos favorecidas, o desmoronamento das instituições políticas mais populares e o aumento de poder da extrema-direita.
Um olhar lúcido e atento sobre o mundo, por uma das figuras de
maior relevo do século XX.

A partir de hoje nas livrarias.