A espiritualidade é palpável | MARIA ANTÓNIA JARDIM

Uma leitura hermenêutica e simbólica

É preciso ir além da superficialidade e fazer uma leitura hermenêutica / simbólica do conceito “espiritualidade” para perceber que a espiritualidade, tal como o sonho, é algo concreto e definido como outra coisa qualquer ( António Gedeão: Pedra Filosofal). Vejamos.

Em primeiro lugar é urgente compreender que “Somos um Corpo”. O corpo é o templo da alma e do espírito que o habitam e portanto o bem ou o mal fazer passam pela acção, pela sua voz, pelas suas mãos…A espiritualidade do Ser Humano exprime-se em actos, actos de fala, gestuais, afectivos, artísticos.

Materializa-se cada vez que o Mundo “pula e avança”, com a imaginação, com a Nona Sinfonia de Beethoven ou com a Última Ceia de Da Vinci; com revoluções de consciência, com “batalhas” que se travam dentro do nosso corpo, corpo afectivo, erótico (note-se que o corpo faz-se a beijar…), com todos os nossos Eus, pois Somos Seres plurais, já nos ensinou o grande psicólogo / escritor Fernando Pessoa!

A espiritualidade “come-se”, “bebe-se”, beija, abraça, desperta, canta Régiamente “Sei que vou por onde me guiam os meus próprios passos”; caminha até santuários como Santiago de Compostela e materializa-se no acender dos círios ao Anjo da Guarda …no exemplo que os pais dão aos filhos…

A matéria-prima da espiritualidade somos nós, seres humanos, com os nossos sonhos, sonho de sermos mais e melhores, seres de luz!

Mas será que podemos escolher o Bem ou o Mal? A liberdade é um terreno onde, segundo o filósofo Paul Ricoeur, (1969), aparece claramente a dimensão ética do mal, identificando-se em parte com o que habitualmente se considera como “consciência moral”.

Para Ricoeur, o mal é um problema ético. É-o, em primeiro lugar, porque não pode existir o mal-ser, o mal-substância, ao contrário do que afirmava o maniqueísmo. O que existe é o mal fazer, o mal como obra do homem, que resulta do mau uso da sua liberdade. Liberdade e mal estão intimamente ligados. Mas, se a liberdade qualifica o mal como um “fazer”, o mal é um revelador e uma ocasião soberana para se tomar consciência da liberdade.

No entanto, será bom relembrar que cada projecto ético, o projecto de liberdade de cada um de nós, surge no meio de uma situação que é já a priori eticamente marcada: escolhas, preferências, valorizações, já tiveram o seu lugar e foram-se cristalizando em valores que cada um descobre quando desperta para uma vida consciente. Logo, toda a praxis nova está inserida numa praxis colectiva, marcada por sedimentações de obras anteriores e pela acção dos que nos precederam. Trata-se de uma situação que tem o seu paralelismo com a própria linguagem. Todo o falar e dizer de novo supõe a existência de uma linguagem já codificada; por outras palavras, isto significa que não podemos agir, senão através de estruturas de interacção existentes e com uma história própria; o que quer dizer que, mesmo o relacionamento mais íntimo realça de um pano de fundo cheio de instituições.

Os valores não são, portanto, eternas essências, mas estão, sim, ligados às preferências, às avaliações das pessoas individuais e finalmente à história dos costumes.

Será, pois, a capacidade que possuo para me colocar no lugar do Outro (como referiu Ricoeur na sua obra Soi-même commme un autre), esse desdobramento, essa alteridade na minha identidade, que vai permitir ao ser humano a apropriação dos valores universais em valores em contexto, para que possamos viver uma sabedoria prática com uma consciência mais evoluída!

 

Maria Antónia Jardim

One thought on “A espiritualidade é palpável | MARIA ANTÓNIA JARDIM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.