1) – C19 Upshot | EDITORIAL | Paulo Querido

EDITORIAL por Paulo Querido

O que vai ser esta newsletter?

C19 Upshot: explicar a incerteza — é uma nova publicação diária gratuita, distribuída a assinantes por correio eletrónico. É elaborada por uma equipa plural que inclui jornalistas, cientistas e outras pessoas experientes em filtrar o caudal informativo nas suas áreas, identificando os sinais acima do ruído.

A atitude da equipa é de serviço público. O seu único compromisso é propor a leitura de artigos de qualidade que lancem luz sobre o futuro moldado pelos efeitos da pandemia COVID-19 e suas sequelas. Numa frase curta: constituir um filtro de inteligência que coe a torrente de informação relacionada com a pandemia.

Esta newsletter assume que o seu alvo são pessoas que somam ao interesse por reflexões de utilidade comprovada algum à-vontade com as línguas, pois apresentará fontes em português, castelhano, inglês, francês – italiano e alemão podem também surgir.

Nesta primeira edição temos 7 sugestões, das quais 4 são artigos anotados e 3 são breves links. Procuraremos manter um ritmo de entre 2 a 5 artigos sumarizados e outras tantas breves.

Nota final. A newsletter não é enviada de um endereço ‘no reply’ mas sim do endereço real do projeto. Assim, é interativa: basta responder para a sua mensagem me chegar. Procurarei não deixar correio por responder.

ICS/ISCTE // O impacto social da pandemia em Portugal uma das variáveis mais fortemente associada à prevalência de diferentes opiniões e atitudes é a situação económica dos inquiridos. Pese embora maiorias expressivas dos inquiridos afirmarem ter “muita” ou “alguma” confiança nas respostas dadas à pandemia pelas diferentes autoridades, são, em particular, os inquiridos que já viviam com maiores dificuldades económicas antes da pandemia que tendem a revelar menor confiança.

De que se trata É um inquérito online sobre a pandemia Covid-19 e os seus impactos em diversas esferas da nossa vida, foi realizado pelo Instituto de Ciências Sociais do ISCTE. Pedro Magalhães, Rita Gouveia, Rui Costa Lopes e Pedro Adão e Silva são os investigadores do ICS/ISCTE que coordenaram o estudo.

Há conclusões úteis? Algumas, mas a amostra não é representativa da população portuguesa. A idade e a situação económico-financeira determinam fortemente a confianças nas instituições e autoridades, bem como o grau de incerteza quanto ao futuro. Os mais novos confiam menos, defendem mais restrições e são mais focados nas incertezas, que incidem em coisas mais concretas como o acesso à universidade. Os mais velhos têm mais confiança na autoridade e estão mais assustados com a incerteza de uma forma geral.

Escolha e notas de Paulo Querido
ler artigo ☞

Saim Saeed e Tanya Snyder, Politico // What happens to airlines after the coronavirus crisis ends? The airlines that survive the downturn will look quite different from the ones that went into the crisis.

O que está em causa? O sector da aviação civil é um dos mais afetados pelas restrições impostas na decorrência do combate à evolução da pandemia de COVID-19. A retoma, quando acontecer, será lenta e gradual. Muitas empresas não sobreviverão.

O que está a ser feito? Milhares de aviões foram parqueados e os governos foram chamados a salvar as companhias aéreas. A IATA estima uma perda anual de receitas perto dos 50%.

O que vem aí? Quando voltar a ser possível viajar, a retoma será lenta e gradual. As viagens de negócios imprescindíveis serão as primeiras a acontecer. O turismo ficará para depois. Para cumprir as regras de distanciamento social, é provável que a lotação dos aviões seja limitada.

Escolha e notas de Nuno Andrade Ferreira
ler artigo ☞

Daniel Yergin, Foreign Affairs // The Oil Collapse The global oil market has never in history collapsed as precipitously as it has right now. The oil and gas industry, which provides almost 60 percent of the world’s energy, is engulfed in a double crisis that would have been dismissed as unthinkable at the start of this year.

Que se passa À guerra de preços que os países produtores de petróleo iniciaram no início do ano juntou-se a pandemia e a falta de procura fez o preço descer ainda mais, projetando a incerteza.

Onde mexe comigo? Desde logo, no preço da gasolina, que ficará mais barata. Em cascata, preços de bens de consumo podem descer. Mas a incerteza dos mercados poderá ter um efeito redutor na atividade económica.

Tem efeitos positivos? Durante um prazo longo a poluição diminuirá significativamente, o que terá efeitos positivos

Quem ganha: Rússia e Arábia Saudita reforçarão o seu poder geopolítico ao mesmo tempo que aumentarão a quota de mercado

Há perdedores? Sim: Os Estados Unidos da América. Como o custo do seu petróleo de fracking é muito elevado, o preço baixo eliminará muitas empresas e empregos. E o país perderá posição internacional e pode mesmo tornar-se novamente importador de petróleo.

Escolha e notas de Paulo Querido
ler artigo ☞

Ignacio Fariza, El País // La renta básica deja de ser una utopía La pandemia lleva a diversos países a ensayar planes de transferencias directas no universales para compensar la reducción en los ingresos de sus ciudadanos.

O que está em causa? O colapso económico provocado pela pandemia de COVID-19 deixou milhões de trabalhadores sem rendimento. O rendimento básico incondicional (RBI) surge como resposta à emergência social, dando liquidez às famílias.

O que é? O RBI é um rendimento garantido pelo Estado, suficiente para garantir condições de vida dignas. Existem vários modelos, mais ou menos abrangentes, mas sempre com o propósito de garantir um nível mínimo de liquidez.

Porquê agora? O RBI não é novidade – desde o século XVIII que o mecanismo é defendido na teoria económica – mas afirmou-se agora, à boleia da crise, como a melhor forma de garantir direitos económicos universais.

Escolha e notas de Nuno Andrade Ferreira
ler artigo ☞

Frédéric Lemaître / Le Monde// Des voix se sont élevées pour critiquer les décisions prises par Xi Jinping face au Covid19, faisant apparaître des divisions dans l’appareil politique. ler ☞

Nikola Mikovic em Global Comment// The coronavirus pandemic will undoubtedly cause a global recession. That, however, does not mean all countries will be hit equally. Nations that manage to preserve at least some form of sovereignty might be able recover in the foreseeable future. Is Russia one of them? ler ☞

Nancy Koehn, Harvard Business Review// Real leaders are not born; the ability to help others triumph over adversity is not written into their genetic code. They are, instead, made. They are forged *in* crisis . Leaders become “real” when they practice a few key behaviors that gird and inspire people through difficult times. As Covid19 tears its way through country after country, town after town, neighborhood after neighborhood, here’s what we can learn from how some of history’s iconic leaders acted in the face of great uncertainty, real danger, and collective fear. ler ☞

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.