“Não vejo saída”. O que a Ucrânia precisaria para a missão quase “impossível” de reconquistar territórios aos russos | Beatriz Céu in CNN PT

Com Major-general Agostinho Costa

As últimas semanas da guerra têm sido marcadas pelos avanços das tropas russas na Ucrânia, nomeadamente no Donbass, obrigando à retirada dos militares ucranianos, que começam agora a contra-atacar e tentar reconquistar as cidades que ficaram nas mãos dos russos – Kherson, Mykolaiv ou Zaporizhzhia. Mas os especialistas militares não perspetivam um bom desfecho para a Ucrânia, que enfrenta uma tarefa quase “impossível” no terreno.

Nestes quase cinco meses de guerra, parece já evidente que “a Ucrânia tem sido mais eficaz em ações defensivas do que em ações ofensivas”, começa por apontar o major-general Agostinho Costa. É certo que o exército ucraniano já conduziu algumas ações ofensivas – como ocorreu em Kharkiv, há cerca de um mês, quando conseguiram empurrar os russos para a fronteira – mas há algumas limitações do ponto de vista militar que impedem uma “ofensiva geral”, acrescenta o também vice-presidente da EuroDefense.

Continuar a ler