Vote for your favourite pictures! choose the winner of the 2012 RAYMOND WEIL International Photo Contest.

425511_4019205206049_883914951_n[1]A fotografia que aqui publico, é uma das 20 seleccionadas como finalistas, pela Raymond Weil. É da autoria da portuguesa, Ana Maria Cortesão. Neste momento encontra-se no 2º lugar da votação. O que vos peço, é que, se gostarem da fotografia, sigam esta ligação: http://www.facebook.com/raymondweil?sk=app_509712705720558&app_data e votem nela. O prazo de votação termina no próximo domingo. Na minha modesta opinião, a fotografia é extraordinária. Vamos levá-la ao primeiro lugar!

Não é, mas parece…

530599_3600526031200_269748628_n

Para Fabi, Renata, Desireé, Bianca, Camila e Sueli

Filomena ― eis o nome da empregada. É certo que não fosse Filomena. Mas, na busca de um intróito, Filomena surgiu. Pois que seja Filomena um nome abençoado!

Filomena trabalhava na casa de minha esposa (Fabiana) na época em que esta era apenas a filha do seo Eduardo e da dona Sueli e mãe das pequenas Desireé e Bianca, hoje uma contradição da essência do pitagorismo. Mas enfim.

Filomena tinha pouco tempo de casa e por essa razão não viu perigo algum em falar da genealogia da família.Teria dito que Renata (irmã mais nova que minha esposa) tinha sorte em ter três lindas filhas (Fabiana, Desireé e Bianca). O mesmo para a dona Sueli ― avó das três.

O leitor deve imaginar um touro, bufando, preparando a investida e terá a imagem de Renata ao ouvir aquilo. Fabiana voara, como uma borboleta azul passeando pelo céu garbosa e despreocupada.

Reparado o equívoco, Filomena se desculpara, enrubescida, alegando que, pela aparência, não se percebia a inversão das idades. Talvez o cigarro fosse o culpado, tentou ainda.

Mas, fora a gota d’água.

Fabiana protestou contra a demissão da pobre Filomena: ela não sabia, pouco tempo de casa, boa empregada, não era, dona Sueli? Mas a ira de Renata foi mais forte.

Pobre Filomena… Maldize a franqueza que te veio à boca! O mundo é cheio de injustiças, Filomena, há muito privado da Razão e da Lealdade.

Pobre Filomena… Que teu caminho te seja leve, como o de João, o Felizardo.

Vai, Filomena… e adeus.