UM REI NA MANGA DE HITLER – um romance de José Goulão

A Viagem dos Argonautas

livro&livros1

Apresentamos hoje um livro de um argonauta – um romance de José Goulão que no nosso blogue assegura uma coluna de política nacional e internacional – “Mundo Cão”. O romance Um Rei na Manga de Hitler, editado pela Gradiva, é uma obra apaixonante, onde a grande experiência jornalística de José Goulão é investida na criação de uma complexa e muito bem urdida trama ficcional.  O livro deste nosso companheeiro de viagem é posto hoje à venda. Oferecemos uma sinopse.

Verão de 1940. A Inglaterra resistia ao fogo cerrado da aviação nazi. Portugal vivia a chamada neutralidadeImagem1 salazarista, através da qual a elite da ditadura tirava proveito da tragédia alheia.

Na vivenda de um banqueiro português, em Cascais, Hitler tinha debaixo de olho o seu «Pétain inglês», o ex-rei Eduardo VIII de Inglaterra, então Duque de Windsor. Este debatia-se num dilema: seguir o caminho da traição, que o faria regressar ao trono ao serviço…

View original post mais 440 palavras

Sena da Silva

Caixa Negra

sena6

sena7

sena8

sena1

A CMLisboa promove, na Cordoaria Nacional, uma exposição antológica do trabalho de Sena da Silva, um mais importantes nomes da fotografia portuguesa contemporanea.

sena9

Do catálogo, retiro :

Sena da Silva – Uma Antologia Fotográfica

A obra de um dos maiores fotógrafos portugueses da segunda metade do século XX, em exposição na Galeria Torreão Nascente da Cordoaria Nacional.

Foi um homem de múltiplos talentos e interesses profissionais e, felizmente para nós, de espirito inquieto e concretizador. É o autor da frase-manifesto ‘Portugal precisa de design!’, na qual se sumariza a sua luta pelas vantagens que aplicação desta disciplina poderia criar na sociedade portuguesa e que viria a culminar com a criação do Centro Português de Design, cuja direção ocupou de 1989 até 1994. Foi também arquiteto, artista plástico, professor, pedagogo e um dos autores mais relevantes da fotografia portuguesa da segunda metade do século XX, ainda que tardiamente divulgado e reconhecido…

View original post mais 137 palavras