A Cidade de Ulisses, de Teolinda Gersão

Um convite para uma exposição sobre a Cidade de Lisboa, abre o caminho para um diálogo interior, pretexto para o personagem se revelar através das suas memórias que se fundem com a história dos locais dessa vivência. Lisboa, cidade criada por Ulisses, oferece essa dimensão onírica e intemporal.

Podia ser outra cidade qualquer, mas só esta foi criada por Ulisses.

(in Acrítico)

Sérgio Sousa Pinto entrevistado por São José Almeida e Nuno Sá Lourenço, no Jornal Público.

«O problema de credibilidade não é uma invenção do meu espírito, resulta dos estudos de opinião. É incompreensível que, em face das políticas que vêm sendo impostas ao país, os estudos de opinião reflictam um crescimento tão modesto do PS. A minha preocupação tem menos a ver com essa circunstância, que já de si merece reflexão, mas com o facto de eu temer que, uma vez que haja eleições e haja uma alteração do poder em Portugal, o PS não esteja em condições para protagonizar uma verdadeira alternativa. Considero que se o PS não for bem-sucedido, não trouxer uma ruptura, uma alteração corajosa em relação ao que temos, corremos o risco de que se esgotem as soluções disponíveis na Segunda República, porque não vejo para onde poderá o eleitorado português transferir a sua esperança. […] As nossas elites várias vezes na História falharam ao país… Não quero adiantar essa reflexão sobre as elites, mas há uma coisa curiosa que posso dizer: ao longo da minha vida, frequentei universidades muito boas, algumas de elite, escolas privadas… O sítio onde eu vejo menos alta-burguesia, verdadeira burguesia, onde eu vejo menos burguesia é na Assembleia da República. Isto diz muito sobre onde é que está o poder.»

http://daliteratura.blogspot.pt/2013/05/citacao-444.html … (FONTE)