Ucrânia : a derrota da burocracia Euro-Estadunidense (1) | por Joffre António Justino

“A suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar.” Sun Tzu

0. Introdução em Ambiente de Vitória é Certa

Tenho à minha frente num cafe de um lisboeta centro comercial uma senhora certamente afim à minha idade cabelo cinzento branco mãos de trabalho saia bem comprida verde escura e por ela o quase certo marido, cigana!

Podiam ser afros, asiáticos, nos mais variados tons de pele e só lustram um velho império agora de braços caídos feito pequeno país europeu e tudo porque Portugal continua a carpir uma derrota militar a da guerra colonial o que o impede de ser feliz por ter “ dado novos mundos ao mundo”

Na verdade um velho coronel do exército português expulso antes do 25 de abril contava-me anos 90 que vindo pela primeira vez da Índia a Portugal miúdo ainda quando perguntou ao pai porque não via templos indus em Lisboa além de um estaladão levou a seguinte resposta : porque Lisboa é a capital do Império … talvez por tal estaladão convivi com este coronel já Grão Mestre do GOL até ele ter cedido aos mplistas do GOL que me levaram a afastar desta Grande Loja

De facto a capital do Império luso dos anos salazarentismo é uma capital submissa ao vaticanismo totalitário pelo que nada de exageros multiculturais nada de templos que não sejam vaticanistas e aliás por cá viam-se bem poucos dos das elites não pseudo arianas do Império. Portugal era um país de cara-pálidas na sua maioria pé descalço analfabeto triste cinzento e a sua elite vestia fato escuro camisa branca gravata escura como referiu Simone Beauvoir depois da sua primeira lusa estadia.

Nesse tempo o ditador Salazar que chamarei salazarento sonhava com uma redentora 3.a guerra mundial que derrotasse o comunismo e com tal derrota finalmente se reconhecesse direito à existência do Império português que curiosamente ele impedia de crescer e unificar com as suas políticas à Ato Colonial.

Mas estamos em 2022 esqueçamos o Passado dizem-me amigos meus vindos das várias portuguesas Esquerdas ainda por cima envergonhados por um apoio até ao fim de um regime ditatorial o Angolano que conseguiu o inesperado – a Esquerda (púnhamos agora o termo caucasiano para denominar os conhecidos como brancos ) caucasiana mplista ou nao foi à força ou pela simpática pressão purgatista maioritariamente expulsa dos novos PALOP, e a Direita ( usemos o outro termo) auto pensada ariana ( algo inexistente em Portugal após 5 séculos de presença mundo fora ) essa regressou e com as elites afro ( negra ou mestiça) regressou à sua atividade espoliadora das agora já não colónias

Talvez porque envergonhados talvez porque complexados perante o suicídio soviético talvez porque descontentes com o um país dois sistemas chinês até hoje ainda não democratizado mesmo que já sem fome talvez porque vencidos por uma sistemática propaganda anti Esquerda dominante em Portugal nos meios de comunicação social o certo é que face a esta ucraniana guerra a Esquerda maioritariamente colou às Direitas e tirando um ou outro protesto perante a serôdia  bacoca totalitária fascizante proibição dos Rússia Today e do Sputnik via sra Leyden / Borrel / Scholtz ou perante a lusa juíza que da voz de soltura a um luso neo nazista para ele virar mercenário na Ucrânia com o amém do vaticanista direitista PR

Poucos foram os que se deram ao trabalho de serem insultados com os mais variados epítetos espalhados por esse  direitistas hismastervoices media poucos assumiram a velha tese rosa-luxemburguista-leninista- pacifista de ir contracorrente

De 24 de fevereiro de 2022 até aos 12/17 de março de 2022 cantos de vitória as loas ao fascista regime de Zelensky os insultos aos anti guerra foram o “pratododia” um susto autêntico onde até se ouviu o elogio “à resistência” do batalhão nazi Azov!

Guerra guerra guerra aos russos ( um ou outro escorregava e la dizia à união soviética ..) viva a Democracia Liberal nossa na verdade viva o direitismo neo liberal versao democrata Biden e seguindo os agora amigos mplistas a vitória é certa (!) não se dizia urrava-se nos transformados em megafones gigantes media lusos!

Não havia ( não há?) espaço para outro pensar outro dizer outro ver e viver apesar dos xenófobos tratamentos a negros portugueses e mais nas ucranianas fronteiras porque na verdade Não se queria ver!

Mas o importante nem é a “guerra propagandistica” feita mais via UE/Nato que EUA note-se o importante é mesmo o como se chegou a um estado de guerra que à partida se sabia dar numa clamorosa derrota do regime ucraniano de Zelensky que estratégias estiveram a envolver este cenário de guerra e a desenvolvê- lo para se chegar aos dias de hoje dias  de real drama humano de destruição do edificado de equipamentos vários industriais militares comerciais agricolas

Vou então procurar refletir um pouco sobre o Passado, sobre o Presente e os Futuros possíveis com algumas certezas em cima da mesa:

a) o conflito desenvolve-se na Eurásia parcela europeia caucasiana  é certo mas num enormissimo continente que secularmente se escondeu em duas parcelas a Europa e a Ásia

b) a Ucrânia é a mãe e o pai da Rússia mas perdeu-se em percursos muito variados não sendo possível ainda assim esconder que era a segunda potência regional da URSS e que com ela ganhou uma perspetiva subimperial que em África é bem conhecida até pela sua xenofobia

c) a Rússia tem foros de império desde pelo menos o czar Pedro I ai pelos anos 1721 e ganhou “foros de cidadania” face às europeias monarquias absolutas quando derrotou o imperador Bonaparte à custa do seu a partir de então famoso “general inverno” e da enorme extensão do seu continental império e na verdade talvez tirando o curto período leninista nunca deixou de se apresentar ao mundo na sua imperialista visão face aos outros!

d) sendo a Rússia meio euro meio asiática nunca ficou “bem sentada” à mesa dos xenófobos grandes do planeta até à bem pouco pois esses grandes eram enfim caucasianos estadunidenses e anglofonos  desde sobretudo a derrota de Bonaparte

e) neste século XXI assistimos a uma desesperada tentativa do segundo império uno anglofono agora estadunidense em sobreviver perante a concorrência da RPChina em especial e nos últimos 20 anos também Russa em aliança com a RPChina e crescentemente os novos Não Alinhados como os BRICS

f) desde a Revolução Francesa à Cromwelniana do Reino Unido que forças político sociais e culturais inicialmente muito centradas nas visões maçónicas que se espalhou a revolucionária tese da Liberdade Igualdade e Fraternidade, da Democracia Universal e que se espalhou Mundo fora com Sun Yatsen ( que em Macau contou com os luso republicanos radicais) na China e no afundar do regime imperial ou com Garibaldi ou Marti  ou Antero Quental numa derrotada visão de uma Confederação sonhada via luso – catalanismo Afro Ibero Latino Americana que os impérios em decadência não souberam dinamizar e com ela crescer face ao vitoriano império bem mais violento que o luso e nada diferente do espanhol

g) entre a Republicana França a I República portuguesa as lutas Republicanas hispânicas incentivou-se com a liberal monarquia britânica e a República Estadunidense a ideia dos Direitos dos Cidadãos e das Cidadãs  mas que ainda hoje são em muitas partes do Mundo um mero projeto de modelo

h) as revoluções soviética e chinesa ( a Republicana) falharam dado o impato das inter imperialistas e anti soviéticas guerras e a NEP de Lenin foi a sua tentativa de pôr o socialismo na gaveta e salvar a República Russa – soviética tal qual Mario Soares salvou a portuguesa Democracia

i) o nazismo o fascismo italiano e o império japonês com a sua derrota deram o poder aos EUA e à URSS e geraram o nascimento da República Popular da China com forte autonomia das Repúblicas Populares da Europa de Leste sem qualquer autonomia face à URSS e também o famoso Movimento dos Não Alinhados fortemente anti império português sendo hoje em boa parte aliados da coligação República Popular da China / Federação Russa

j) o império francês e o britânico sobreviveram em lógica neo colonial e em crescente subordinação ao poder estadunidense enquanto que o império português se desagregou nas mãos do império soviético e em aliança em Angola com o estadunidense numa distribuição de riquezas ( petróleo para as petrolíferas estadunidenses diamantes para a URSS, beneficiando também a República Soviética da Ucrânia e o açúcar angolano abandonado beneficiando Cuba ) que nunca beneficiou os Angolanos como nem agora com a forte presença da RPChina

k) o suicídio da URSS leva todo o planeta a um ambiente desagregador dominando a lógica economicista neo liberal anglofona mas abrindo as economias para esta desregulada globalização que mesmo que pela negativa aproximou pessoas culturas e estados e trouxe inovação a todo o planeta  o que hoje parece estar em causa

l) neste novo ambiente de inteligência artificial de novas tecnologias para além do uso do inerte chegando ao bio de exagerado crescimento populacional global e do exponencial crescimento “de Estados” e das  complexas nascituras Uniões da Africana à Europeia às Asiáticas umas ainda só económicas outras cada vez mais políticas a organização da ONU em nada ajuda à resolução global de conflitos pela sua estruturação burocrática e anti cidadã.

Joffre António Justino

21/03/2022

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.