Os 13 Reis Suevos que governaram Portugal antes de D. Afonso Henriques | in VortexMag

A história que aprendemos na escola é que o nosso país começou por ser um condado pertencente a Castela, o Condado Portucalense, governado por D. Henrique, pai de D. Afonso Henriques, que viria a ser o primeiro Rei de Portugal. Mas se recuarmos uns séculos, há muito ainda por contar. Portugal começou por ser a Lusitânia, que depois foi anexada pelos Romanos. Após alguns séculos de domínio Romano, a zona que hoje corresponde a Portugal foi invadida por tribos germânicas, os Suevos e os Visigodos.

Continuar a ler

Última Aula do Professor Fernando Branco FUNDEC – DECivil

A Última Aula do Professor Fernando Branco, Distinguished Professor do Instituto Superior Técnico (IST),  irá realizar-se no próximo dia 16 de Dezembro, às 18h00, no Grande Auditório do Centro de Congressos do Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos do IST.

Nesta cerimónia assistir-se-á ainda ao lançamento do livro “A Última Aula – 50 Anos a Resolver Problemas de Engenharia”, editado pela IST Press.

Em cumprimento das novas regras do estado de calamidade, a organização informa:

• À entrada do Grande Auditório será requerida a apresentação do Certificado de Vacinação Digital Covid da União Europeia (ou teste negativo: teste rápido de antigénio até 48 horas antes, ou teste PCR até 72 horas antes) e indicação de contactos pessoais para posterior controlo/aviso de eventual infecção (formulário em https://lnkd.in/dAwMrAjk).

• O uso de máscara durante a sessão é igualmente obrigatório.
Quem estiver interessado na compra do livro poderá fazê-lo no local, mediante pagamento por cartão.
Para mais informações sobre o livro, visite: https://lnkd.in/dk3K6yXu
Esperamos por si.

A comunicadora de Ciência Joana Lobo Antunes, em entrevista à VISÃO | Vânia Maia, jornalista in Revista Visão

“A EVIDÊNCIA A FAVOR DAS VACINAS É TÃO AVASSALADORA QUE A COMUNIDADE CIENTÍFICA ACHOU QUE OS ANTIVACINAS ACABARIAM POR SE CALAR. O QUE NÃO SE PREVIU É QUE A VERDADE NÃO INTERESSA NADA”

Quase no final da conversa, Joana Lobo Antunes haveria de confessar que o seu primeiro instinto foi recusar dar esta entrevista. No entanto, tinha acabado de dizer a várias cientistas do sexo feminino que, mesmo se estivessem assoberbadas, deviam aceitar falar com jornalistas. Afinal, ainda são precisas mais investigadoras na esfera pública, até para motivar as jovens aspirantes. Além de dar aulas de Comunicação de Ciência na Universidade Nova de Lisboa, Joana Lobo Antunes é também coordenadora da área de Comunicação, Imagem e Marketing do Instituto Superior Técnico. O programa radiofónico 90 Segundos de Ciência (Antena 1), do qual é cocriadora, conquistou o Prémio Gulbenkian de Conhecimento de 2019. Filha do escritor António Lobo Antunes, revela que a influência do avô paterno, João Alfredo Lobo Antunes, foi determinante na sua paixão pela Ciência, que a levou a doutorar-se em Química. Aos 47 anos, a ainda fundadora da Rede de Comunicação de Ciência e Tecnologia de Portugal explica como se pode combater a desinformação, admite as dificuldades de dialogar com quem nega evidências científicas e aponta os principais erros de comunicação cometidos durante a pandemia. Sempre sem o jargão científico, do qual ajuda os cientistas a libertar-se.

Continuar a ler

Estoicismo | A Filosofia da Resiliência e Serenidade Inabaláveis | Diouglas Hoppe

O estoicismo foi uma escola de Filosofia que, apesar de ter surgido há mais de 2.000 anos, apresenta ensinamentos valiosos e incrivelmente atuais para quem busca uma vida com mais Resiliência e Serenidade. Os Estoicos ficaram conhecidos como aqueles capazes de suportar as maiores adversidades da vida com total Serenidade.

La mécanique quantique en 7 idées | David Louapre

Vous avez toujours rêvé de comprendre les mystères de la mécanique quantique ? Cette vidéo est faite pour vous ! Au menu, principe de superposition, mesure quantique, réduction du paquet d’onde, dualité onde-corpuscule, quantification et principe d’incertitude de Heisenberg ! Écrit et réalisé par David Louapre © Science étonnante

DIMITRIS PAPAIOANNOU | TRANSVERSE ORIENTATION

Part of Dance Umbrella Festival 2021 | 21-23 October, Sadler’s Wells, London Dimitris Papaioannou returns to Dance Umbrella for the third time following his sold-out debut in 2016 and 2018’s sold-out and Olivier-nominated production The Great Tamer. Summoning an entirely distinctive universe once more for his latest work, Transverse Orientation is co-commissioned by Dance Umbrella and Sadler’s Wells. A true master of visual spectacle, the Greek artist explores existential themes, mining mythology and art history to conjure vivid and often humorous imagery. Taking inspiration from the natural behaviour of moths to seek light, Transverse Orientation follows the human compulsion to find meaning on the journey of life.

AS TENTAÇÕES DE CRISTO Anselmo Borges

Poder e autoridade

11 Dezembro 2021 — DN

Anselmo Borges

No Evangelho, as três tentações de Jesus estão todas relacionadas com o poder. Antes de iniciar a sua vida pública, Jesus teve de decidir se queria ser um Messias político, do poder, ou um Messias do amor, do serviço. Foi por esta segunda via que seguiu: “Eu não vim para ser servido, mas para servir”, e servir até dar a vida, dar a vida para testemunhar a verdade e o amor. A verdadeira tentação, segundo o Evangelho, é a do poder, no sentido da dominação.

Evidentemente, em qualquer sociedade o poder é inevitável, tem de haver instâncias de poder. Toda a questão consiste em saber como é que ele é exercido e com que finalidade. Quantos se lembram de que Ministro, etimologicamente, significa pura e simplesmente servente, aquele que serve? Primeiro-Ministro é o que está à frente no serviço. Por isso, Jesus disse aos discípulos, também ao Papa, bispos, cardeais, padres: “Sabeis que os chefes das nações governam-nas como seus senhores. Não seja assim entre vós; pelo contrário, quem quiser fazer-se grande entre vós seja vosso servo”.

Continuar a ler

Diana Vishneva | Bailarina

Diana Viktorovna Vishneva é uma bailarina russa que atua como dançarina principal no Mariinsky Ballet. Wikipedia (inglês)

Nascimento: 13 de julho de 1976 (idade 45 anos), São Petersburgo, Rússia | Altura: 1,68 m

CônjugeKonstantin Selinevich (desde 2013) | FilhosRudolf-Viktor

PaisGuzal Fagimovna VishnevaViktor Gennadyevich Vishnev

FormaçãoTeatro MariinskiVaganova Academy of Russian Ballet

Sergei Rachmaninoff | ‘Left behind’, Natalia Osipova & Jason Kittelberger | Choreography of Jason Kittelberger … and CARMEN of Georges Bizet by Natalia Osipova, in Edinburgh International Conference Centre

In December UK audiences will be treated to the unique opportunity of seeing the thrilling Russian ballerina, Natalia Osipova, Principal of the Royal Ballet, in a brand new, contemporary dance production of ‘CARMEN’ (Georges Bizet). The show will perform at the Edinburgh International Conference Centre on the 17th and the 18th December | photo by Rick Guest

EDSON ARANTES DO NASCIMENTO | PELÉ “Não posso ser um novo Pelé. Ele é o único que ultrapassa os limites da lógica” | by Johan Cruyff

Tal como Messi, CR7 e Neymar nos dias de hoje, Johan Cruyff, que faleceu em 24/3/2016, aos 68 anos, também foi um dos muitos gênios do futebol que ao longo da história foi comparado a Pelé, e tal como nos dias de hoje, naquela época muitos diziam que Cruyff era “melhor que Pelé”, “o melhor de todos os tempos”, “o melhor da história” e etc, etc, etc,…

Realmente Cruyff foi um dos melhores da história do futebol, melhor jogador europeu do século XX, mas tal como Maradona, Eusébio, Di Stéfano, Romário e tantos outros, foram comparados ao Rei mas nunca conseguiram pelo menos chegar perto do patamar de Pelé.

A única vez em que se enfrentaram, foi no dia 1 de setembro de 1974 em Cadiz na Espanha, em jogo válido pelo troféu Ramon de Carranza, um mês antes do jogo de despedida de Pelé do futebol brasileiro. O Barcelona venceu o Santos FC por 4 x 1.

Cruyff, tal como outros gênios do futebo como Zico, Puskas ou Di Stéfano, nunca teve a sorte de vencer uma Copa do Mundo, mas escreveu seu nome na história do futebol com letras de ouro.

What is Spinoza’s God?

Spinoza is one of the most controversial and debated philosophers in the last few centuries. This video attempts to give a very general overview of his perspective on God as well as some ways that it can be interpreted.

The video is a collaboration with the lovely channel “Seekers of Unity”, which you can find here: https://www.youtube.com/channel/UCL9A…

Maria Callas | Cesare Valletti | La Traviata (1958 London live, remastered)

La traviata by Giuseppe Verdi performed in Italian Conductor Nicola Rescigno – 1958(LI) Orchestra – Covent Garden Chorus – Covent Garden Violetta Valery – Maria Callas Flora Bervoix – Marie Collier Annina – Leah Roberts Alfredo Germont – Cesare Valletti Giorgio Germont – Mario Zanasi Gastone – Dermot Troy Dottore Grenvil – David Kelly Barone Douphol – Forbes Robinson Marchese d’Obigny – Ronald Lewis

O enigma do tempo e a eternidade no instante | Anselmo Borges | in Diário de Notícias

1- Uma característica essencial do ser humano é que conjugamos os verbos no passado, no presente e no futuro.

Há quem julgue que a salvação está no passado. Há sempre os saudosistas do passado: antigamente é que era bom. É a saudade do Paraíso perdido. Também há aqueles que não querem preocupar-se nem com o passado nem com o futuro. O que há é o presente, o aqui e agora, o agora a que se segue outro agora: a salvação consiste no amor e fruição do presente. Depois, há os sonhadores e os ascetas. Fogem do agora, para refugiar-se no amanhã. Nunca estão no presente, pois a sua morada é só o futuro…

Ora, pensando bem, se, por um lado, não podemos instalar-nos no passado, por outro, ninguém pode abandonar o passado, como se fosse sempre e só o ultrapassado. De facto, quando damos por nós, já lá estamos, o que significa que vimos de um passado que nem sequer dominamos. E temos de aprender com o passado, para, a partir dele, nos decidirmos no presente.

Continuar a ler

Natalia Osipova “In Her Hands” « Dans ses Mains » (2019)

Dans ce mini ballet, le rôle de Camilla est joué par Natalia Osipova. Plus précisément, la ballerine a ici deux rôles: Camilla dans la vie et Camilla dans son monde spirituel. Dans la vraie vie, elle sculpte un portrait de son ami (également sculpteur et élève de Rodin) Jesse Limbscombe (ce rôle ultra-court est joué par Léa Jackson) et après son départ, elle parle de son passé (la voix de Camille a été donnée à Agnes Letestu , et la voix de Rodin a été exprimée par un autre acteur). La conversation est vaste, nerveuse, tragique. Et un épisode aussi dramatique dans l’atelier de Camilla est entrecoupé d’une danse de deux sculptures – Camilla elle-même (Rodin l’a sculptée, et ici Osipova représente étonnamment) et la sculpture qu’elle a créée (ou surgit dans son imagination) interprétée par Matthew Ball. sur la musique de Gabriel Fauré: Élégie en ut mineur op 24.

Música | Élégie in C minor, Op. 24 – Molto adagio | Artista | Daria Hovora & Aleth Lamasse

Álbum | Gabriel Fauré, Élégie In C Minor, Op. 24 | Licenciado ao YouTube por

The Orchard Music (em nome de Classical.com Music)

Marilyn Monroe and Jane Russell

While it is true that Hawks’s camera often objectifies Monroe and Russell’s bodies, there is power in their characters’ frank sexuality. These women are very much in control of their bodies and obviously take care in how they present themselves. (The scene where they stride through the ship’s dining room, happily aware that all eyes are on them, comes to mind.) Dorothy and Lorelei are also unafraid to hide their lust, sexual or materialistic. It isn’t a secret that Dorothy loves men, just like it isn’t difficult to tell that Lorelei likes the finer things in life. One of the film’s best moments is when she outright admits to Gus’s father that she wants Gus for his fortune. It isn’t malicious — it’s survival.

At a casual glance, these two showgirls couldn’t be more different. Dorothy, a brunette, is the sardonic, practical one who enjoys chasing good-looking men. Lorelei, meanwhile, is a naive, supposedly dumb blonde who enjoys chasing good-looking diamonds. However, as the film goes on, we see that both women possess an intelligence that goes largely overlooked by the other characters. Fiercely loyal to one another, it becomes clear that Lorelei and Dorothy are the only ones who truly appreciate and understand each other. Dorothy knows that her best friend isn’t stupid, just like Lorelei knows Dorothy isn’t the hard-bitten cynic she pretends to be.

O erótico na literatura portuguesa | Manuel Frias Martins | in Companhia dos Livros

O professor universitário, ensaísta e crítico Manuel Frias Martins analisa a literatura erótica portuguesa num artigo em que passa também em revista o impacto dos fatores sociais, políticos e religiosos na nossa perceção sobre os valores morais dominantes em cada época.

As práticas censórias da ditadura salazarista, amparadas pela norma clerical que moldou a cultura moral portuguesa, e que continua subterraneamente presente em vários recantos do inconsciente da nação, sufocaram a imaginação erótica e muitas das suas expressões literárias possíveis. Cidadãos “virtuosos”, porque inimigos de representações artísticas do corpo, do desejo e do sexo, ocuparam lugares-chave da cultura oficial ou a ela ligados, e a partir dos quais expulsaram a experiência de Eros, denegando em consequência os múltiplos aspetos e possibilidades artísticas do sexo. Esta é a explicação mais simples, mas também a mais adequada, para a escassez de cultores literários do erotismo em Portugal.

Continuar a ler

Pedro Hispano | o português mais poderoso de sempre | in vortexmag

Quem foi Pedro Hispano? O português mais poderoso de sempre viveu na Idade Média e foi o Papa João XXI. Conheça a sua história e como chegou a Papa.

A 20 de setembro de 1276, Pedro Julião (ou Pedro Hispano, como também era conhecido) foi coroado com o nome de Papa João XXI, uma semana depois da sua eleição para o papado, em Viterbo. Esta votação esteve envolvida nalguma agitação, já que o seu predecessor, Adriano V, tinha falecido prematuramente, pouco mais de um mês após a sua eleição.

Numa altura em que na Europa prevaleciam os conflitos e guerras entre vários pequenos reinos e com a ameaça dos muçulmanos à porta, ser Papa significava ser a pessoa mais poderosa do mundo naquela época. Reis, nobres e povo… todos deviam obediência ao sumo pontífice. Era ele quem ditava as leis, estabelecia as regras e mediava conflitos.

Continuar a ler

Para o centro, direita volver | Francisco Louçã in Jornal Expresso

E, pronto, Rui Rio arrasou as previsões, o aparelho e as conveniências do seu principal opositor externo, o primeiro-ministro. Fica assim definido o quadro das eleições de janeiro, com um PSD a procurar somar votos do centro por via da polarização à direita, com o PS a procurar votos de centro usando a guerra contra as esquerdas, que procuram impedir aquele salto para o bloco central, com o PAN a oferecer-se tanto ao PS quanto ao PSD e com o CDS a lutar pela sobrevivência face ao Chega, que insinua um convite a Telmo Correia. Tudo no seu lugar, mas ainda sobram algumas incógnitas.

Continuar a ler

SPINOZA | Dieu n’attend rien de nous | Charles Robin

Spinoza est surtout connu pour sa vision déterministe du monde. Mais il est également l’un des rares philosophes à s’être opposé frontalement à la tradition religieuse de son époque. Pour lui, Dieu n’est pas un être séparé du monde et juge de nos actions. Coup de projecteur sur une philosophie aussi originale que captivante.

Charles Robin est précepteur et enseignant en philosophie, français et mathématiques. Depuis plusieurs années, il accompagne des élèves de tous niveaux dans leur parcours scolaire. Ses élèves l’apprécient pour son franc parler, son sens de l’écoute et sa capacité à rendre claires des notions parfois complexes. Son projet, à terme, est de créer une école populaire autonome dans laquelle seraient valorisés les savoirs fondamentaux, les arts et l’initiative collective.

Leiradella e a Capitu portuguesa | por Adelto Gonçalves

Além do teatro, do ensaio e do roteiro para vídeo, cinema e televisão, Cunha de Leiradella (1934), ao curso de uma longa vida bem vivida, sempre cultivou igualmente o romance e o conto, gêneros a que mais se dedicou, como bem sabe quem já compulsou a sua biografia. Em Isto não é um romance, porém, chega a um ponto em que inaugura um gênero, pois se trata de um conto que parece ter escapado ao controle do escritor, alcançando as dimensões físicas de um romance. Talvez venha daí a opção por tal título, embora o leitor possa concluir também que este texto não conta a história de um amor exaltado, como bem se afiguraria a um romance tradicional, mas de um amor frustrado, que não houve. É a história de um homem que não conseguiu se realizar na vida sentimental e faz um relato confessional de seu passado melancólico.

            Mais uma vez, a personagem principal de um texto de Leiradella é Eduardo da Cunha Júnior, que, em outras obras, já foi vendedor de livros, dramaturgo, engenheiro, executivo e detetive. Desta vez, o alter ego do autor é um cidadão que, licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto, filho de um comerciante bem-sucedido, nunca saiu da confortável casa em que nasceu nem precisou ir à luta para ganhar a vida, vivendo dos rendimentos e dos bens que os pais teriam deixado, e que se define como “um parasita social que não é pago com dinheiro público”.

Continuar a ler

Albert Einstein | Leçon de vie

Un jour, Albert Einstein a écrit sur tableau :

9 x 1 = 9

9 x 2 = 18

9×3 = 27

9×4 = 36

9×5 = 45

9 x 6 = 54

9 x 7 = 63

9 x 8 = 72

9 x 9 = 81

9 x 10 = 91

Le chuchotement a soudainement commencé dans la salle parce qu’Einstein s’est trompé.

La bonne réponse est : 9×10=90

Tous ses élèves se moquaient de lui. Einstein a attendu que tout le monde se taise et a dit: “Même si j’ai résolu neuf problèmes correctement, personne ne m’a félicité. Mais quand j’ai fait une erreur, tout le monde a commencé à rire.”

“Cela signifie que même si une personne réussit, la communauté remarquera sa moindre erreur et elle l’aimera. Alors ne laissez pas la critique détruire vos rêves. La seule personne qui ne fait jamais d’erreurs est celle qui ne fait rien.”

Laissons-nous bercer par l’écume des jours, mon amour … | Hanane Trinel

Sans clepsydre, ni sablier, sans horloge, ni pendule, sans attendre le crépuscule, Amira s’inquiète de l’heure, elle l’observe.

Son visage adoré est son cadran solaire.

Hélas, elle le vois qui lui annonce que le rêve, aussi sublime fut-il ces deux dernières semaines, s’est déjà achevé, qu’il va devoir se lever, se rhabiller, son bagage boucler, qu’il va l’embrasser, et puis, encore une fois, à mille lieues d’elle, être obligé de s’en retourner.

Il es allé, son magicien, ce soir-là, jusqu’à prendre au mot cette phrase de Boris VIAN qu’elle lui avait envoyée, si innocemment :

« Je voudrais que tu sois là

Que tu frappes à la porte

Et tu me dirais c’est moi

Devine ce que j’apporte

Et tu m’apporterais toi. »

Continuar a ler

O homem Massa | Günther Anders | ′′ A obsolescência do homem ′′ 1956 | via Manuel Tavares

Foi em 1956 que o filósofo judeu alemão Günther Anders escreveu essa reflexão premonitória:

′′ Para sufocar antecipadamente qualquer revolta, não deve ser feito de forma violenta. Métodos arcaicos como os de Hitler estão claramente ultrapassados. Basta criar um condicionamento coletivo tão poderoso que a própria ideia de revolta já nem virá à mente dos homens. O ideal seria formatar os indivíduos desde o nascimento limitando suas habilidades biológicas inatas…

Em seguida, o acondicionamento continuará reduzindo drásticamente o nível e a qualidade da educação, reduzindo-a para uma forma de inserção profissional. Um indivíduo inculto tem apenas um horizonte de pensamento limitado e quanto mais seu pensamento está limitado a preocupações materiais, medíocres, menos ele pode se revoltar.

Continuar a ler

Livro ESPANTALHOS, Ensaios e afins | Silas Corrêa Leite

Os ossos e ócios dos espantalhos do estupendo literato ADEMIR DEMARCHI

Breve Resenha Crítica

-Eu já o conhecia de outras plagas e sítios, das redes sociais e do próprio nome forte nas lidas da literatura contemporânea de um modo geral. Aqui e ali, volta e meia nos acercamos, mas, aqui e ali também não deu liga de presto, até que, finalmente, num desses sadios contatos que  as redes sociais graciosamente propiciam, e, vai lá, agregamento feito, conexão confirmada, e ele generosamente me mandou alguns de seus portentosos livros, que, claro, sentindo-me honrado com a gentileza, e, de cara, garrei a ler, primeiro o livraço ESPANTALHOS, 312 pgs, 2017, Nave Editora de SC. Foi a gota d´água, quero dizer, foi o tsunami literário me encantando, leitor voraz…

Continuar a ler

Guardador de Rebanhos | Fernando Pessoa | Poesia Portuguesa II | Mário Viegas

Mário Viegas ironiza sobre a “popularidade” de Fernando Pessoa, escritor e poeta da primeira metade do século XX; Mário Viegas conversa com “Fernando Pessoa” (personagem interpretada por Mário Viegas) sobre a sua personalidade e obra; 41m50: Mário Viegas declama 10 poemas do livro “Guardador de Rebanhos ” de Alberto Caeiro, acompanhado por António Marques à flauta e a interpretação de Rui Miguel, ator; reconstituição do quadro “Retrato de Fernando Pessoa” de José Almada Negreiros.

BELDROEGAS, UMA SABOROSA E PERFUMADA SAUDADE | António Galopim de Carvalho

(excerto do meu livro “Açordas Migas e Conversas” Âncora Editora, 2018)

A “Portulaca olerácea”, de seu nome científico, que, como lembrou Monarca Pinheiro, “já matou a fome a muita gente”, é uma erva levemente acidulada, de folhas carnudas, por vezes bem grandes e caules tão tenros que se aproveitam quase todos. É boas nas sopas, nas saladas, no esparregado e, até, em jeito de peixinhos-da-horta (com os caules mais grossos).

O meu pai gostava e, sempre que as beldroegas aparecessem na praça do mercado, eu tinha ordem para as comprar e a minha mãe fazia-as, nesse mesmo dia, em sopas de pão com queijo de ovelha, branco, de meia cura, e ovos escalfados.

Continuar a ler

O 25 de Novembro e a sua novembreza | Carlos Matos Gomes

Escrevi há poucos dias um texto sobre o evento de apresentação do franchising português da CNN, realizado no edifício dos Jerónimos, na parte ocupada pelo Museu Arqueológico. Considero que os monumentos nacionais, evocadores do passado, podem e devem ser utilizados para eventos marcantes do presente. E o que se comemorava a 22 de Novembro é marcante em termos de apresentação e representação de um novo poder, da novembreza.

Não tive uma palavra de expetativa sobre o produto que vai entrar no mercado. Portugal é um pequeno país, não produz acontecimentos de relevo mundial, vive uma cómoda paz, felizmente. As notícias sobre Portugal serão sempre casos menores. A primeira página do tabloide Correio da Manhã, ou do site do Sapo explicam a nossa insignificância. Sem ovos não se fazem omeletas e a estação CNN Portugal não fará o milagre de nos colocar no centro de um universo de manipulação informativa, a não ser em caso de grande catástrofe. Espremerá até à última gota os pequenos frutos locais (ia a escrever furtos e também se adequava). A notícia importante no happening dos Jerónimos foram os seus convidados, que se entrevistaram uns aos outros, mesmos os exilados por terem cometido excessos ao trepar.

Continuar a ler

PORTUGAL-BRASIL: RAÍZES DO ESTRANHAMENTO | Carlos Fino

EM DESTAQUE NO MUNDO LUSÍADA

Jornalista Carlos Fino lança obra “Portugal-Brasil: Raízes do Estranhamento”.

Nova obra do jornalista português traz 500 páginas profusamente ilustradas com imagens de caráter histórico sobre a complexa relação Portugal-Brasil.

Da Redação do “Mundo Lusíada” – um dos principais jornais da comunidade portuguesa no Brasil:

Uma tese de doutoramento em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho e pela Universidade de Brasília do jornalista português residente no Brasil, Carlos Fino, deu vida ao livro “Portugal-Brasil: Raízes do Estranhamento”.

Segundo o autor, a força da relação Brasil-Portugal por via da história, do sangue e da língua, por um lado, contrasta com a permanência de um sentimento de estranhamento e incomunicação. Confrontado com estas duas realidades contraditórias, quis aprofundar o estudo dessas razões.

Em mais de 500 páginas profusamente ilustradas com imagens de caráter histórico sobre a complexa relação Portugal-Brasil, o autor estuda nesse passado comum as razões de um estranhamento e (in)comunicação, como por exemplo, cita um “sentimento antilusitano” que existe disseminado no Brasil.

O livro está em fase de pré-lançamento nos dois países pela Editora LISBON BOOKS – Livraria Atlântico.

Continuar a ler

Terras da Beira | Jornal do Fundão, 21-09-2006 e Pedras Soltas (Ed. 2006) | Carlos Esperança

São cada vez mais os mortos que povoam os cemitérios e menos os vivos que restam. Os jovens saíram pelas estradas que invadiram o seu habitat. Fugiram das courelas que irmãos disputavam à sacholada e à facada, dos regatos que secaram a caminho das hortas, da humidade que penetrava as casas e os ossos, e da pobreza que os consumia.

Não há estímulo para permanecer. Não se percebe que as penedias tivessem custado vidas na disputa da fronteira, que homens se tivessem agarrado aos sítios e enchido de filhos as mulheres que lhes suportavam o vinho, a rudeza e os maus tratos.

Continuar a ler

Grandes eventos merecem grandes ajuntamentos Carlos Matos Gomes

Recebo, com algum adormecimento, notícias de irritação e de sentimento de ofensa à grandeza da pátria que a festa de inauguração do franchising português do canal de televisão americano CNN tenha sido realizada nuns anexos — que servem de Museu de Arqueologia — do local sagrado do antigo mosteiro dos frades Jerónimos. Um extraordinário monumento manuelino, a par do Convento de Cristo, em Tomar, que celebra as navegações dos portugueses de quinhentos e onde repousam o que se julgam ser os restos mortais de dois génios lusitanos, Luís de Camões e Fernando Pessoa.

Penso que a realização de eventos populares em locais históricos é uma boa técnica de marquetingue cultural, pois leva centenas ou milhares de portugueses a locais que, se não fossem esses tais eventos, nunca os “vivenciariam”, como dizem.

Continuar a ler

MINDE | INAUGURAÇÃO DO MUSEU ROQUE GAMEIRO | 21 Novembro DE 1970

FOI HÁ 51 ANOS QUE FOI INAUGURADO O MUSEU ROQUE GAMEIRO Em 21 de Novembro de 1970 Minde vivia momentos de grande agitação. Foi inaugurado o MUSEU ROQUE GAMEIRO e Minde recebeu a presença do Senhor Presidente da República, Almirante Américo Deus Rodrigues Thomaz.

Os membros da Junta de Freguesia de Minde eram Lourenço Coelho Anjos da Silva, seu Presidente, Manuel da Silva Micaelo e João Almeida Mengas, que lideraram o grupo que se empenhou com grande bairrismo na concretização deste belo projecto. O Presidente da Câmara era o Sr. José Maria Baptista. Recordamos também o Senhor Rogério Venâncio, figura ímpar e marcante da Cultura de Minde, sempre disponível e activo na colaboração com a Junta de Freguesia, tal como todos os membros da Comissão Instaladora do Museu Roque Gameiro. Os Mindericos estiveram orgulhosamente presentes na recepção ao Sr. Presidente da República, na inauguração e no almoço de confraternização que se seguiu. Liderava a Banda da Sociedade Musical Mindense o Sr. Padre Mário Marques dos Anjos, que acompanhou o desfile da população na recepção ao Sr. Presidente da República. Foi bonito. O Pintor Alfredo Roque Gameiro, que nasceu na casa onde foi inaugurado o Museu em 4 de Abril de 1864, tendo falecido em 4 de Agosto de 1935, é considerado o maior pintor aguarelista português.

21-11-2021 | Vítor Coelho da Silva

JORNAL DE MINDE | NOVEMBRO DE 1970

clicar no link

Click to access 1970-11-00%20-%20Jornal%20de%20Minde%20-%20Inaugura%C3%A7%C3%A3o%20do%20Museu%20Roque%20Gameiro%20-b.pdf

ver 32 fotos alusivas ao evento

Continuar a ler

Calão Minderico | Minde | Portugal

piacao3Piação do Ninhou – Linguagem  Comum 

António de Jesus e Silva , Augusto Porfírio Fragoso , Cid Manata Pires , Dr.Miguel Coelho dos Reis , José António de Carvalho , Prof. Abílio Madeira Martins , Tiago Madeira Martins , Vítor Manuel Coelho da Silva, 06-09-2013

CALÃO MINDERICO – PORTUGUÊS

Letra A

Abecê – Poucos ( são muito abecê = são muito
poucos )
Abobrar – Descansar
Abrilense – Cuco
Achega – Funcionário dos Correios ( mulher )
Migança ( homem )
nota : do apelido da primeira-chefe do
Correio de Minde
Adegueira – Vasilha ; pipa ( vid. Tavares )
Adueiro – Castanheiro ( vid. Tavares ; por dar
uma das madeiras mais usadas em aduelas
Agadanhar . Apanhar ; colher ; furtar
Agoirento – Mocho
Aguentas(Os…) – Os ombros
Albertinas – Bolachas
Aldeia Grande – Ourém
Aleluia – Pedra de grande peso ; tudo o que
represente peso
Alentejas – Azinhas
Alexandre – Coxo
Alexandrino – Fotógrafo
Alexandrinas – Fotografias( do nome de um fotógrafo que durante anos tirou fotos ” à la minuta ” na Feira de Sant’Ana
Alhandra(O de …) – O lume ; o fósforo ; uma fogueira – O de Alhandra preto=carvão
Alhoa – Praga ( Jordou pela d’el rei na piação da Alhoa = seguiu pela estrada a rogar pragas )
Alqueire ancho – Moio ; o equivalente a sessenta alqueires

Ver tudo:

http://minderico.net/artigo.asp?cod_artigo=123069

Site desactivado – em breve voltará ( Vítor Manuel Coelho da Silva )

PORTUGUÊS – CALÃO MINDERICO 

Continuar a ler

Os desespelhos quase esquizocênicos da poética teatral de Daniel Osiecki | por Silas Corrêa Leite

  • Quando você recebe “de grátis”  alguns livros de um generoso amigo virtual que conheceu pelas artes lítero-culturais das ricas redes sociais, você sempre se sente um privilegiado. Mas, quando você começa a ler aqui e ali, versos e prosas, tudo junto e misturado, você fica atiçado e, pego pelas palavras, e ritmos, em delirantes cenas rápidas, corre, saca e sente que precisa escrever sobre o que viu de lastro e lustre. E foi isso que ocorreu, quando recebi, entre outras obras, o livro “27 episódios diante do espelho” de Daniel Osiecki, de Curitiba Paraná, com o qual tive o prazer de  já estar e palavrear em duas Lives, via You Tube da Kotter.
  • Daniel Osiecki foi professor universitário, é mestre em teoria Literária, editor-chefe da Revista TXT, organizador de saraus coletivos e apresentador do Programa VIVA LITERATURA no canal do Youtube. Também altamente produtivo assim e assado, autor de Abismo (2009), Sob o signo da noite (2016), fellis (2018), Morre como em um vórtice de sombra (2019), Fora de ordem(2021) e  ainda em 2021 este livro de Episódios… Ou seriam, trocadilhando,  EPI-sódios? Curto e grosso, poemas-cenas-de-teatro aberto, acidez-solo, e vai por aí a derrama da arte de Daniel na cova dos leões das palavras, atos e fatos, prismas e cenas rápidas. Aliás, EPI-Equipamento de Proteção Individual. Sódio, isso mesmo, o principal ingrediente do sal, que é o cloreto de sódio, importante para a manutenção do equilíbrio do pH do sangue, dos impulsos nervosos e da contração muscular.
Continuar a ler